angle-left Projeto da Unifor divulga potencialidades econômicas do Ceará para investidores internacionais

Sex, 23 Novembro 2018 14:51

Projeto da Unifor divulga potencialidades econômicas do Ceará para investidores internacionais

Iniciativa é desenvolvida por professores e alunos do curso de Comércio Exterior


Da esquerda para direita Isabel Duarte, Érika Neves, Lorena Feitosa, professora Mônica Luz e Natanael Aguiar. Foto: Ares Soares.
Da esquerda para direita Isabel Duarte, Érika Neves, Lorena Feitosa, professora Mônica Luz e Natanael Aguiar. Foto: Ares Soares.

Com o objetivo de contribuir para a internacionalização do Ceará, o projeto Ceará Global, realziado por alunos e professores do curso de Comércio exterior da Universidade de Fortaleza (Unifor), dissemina informações sobre o ambiente de negócios do Estado, a fim de permitir que parceiros e potenciais investidores estrangeiros tenham acesso a conteúdos atualizados sobre a dinâmica do comércio internacional, principalmente através das redes sociais.

Investimentos internos e externos, construções de Portos e Aeroportos, empresas e produtos cearenses que ganharam espaço no exterior, tudo com o objetivo de chamar atenção para o crescimento do Estado, divulgando o que acontece de mais relevante no mundo dos negócios.

O Ceará Global é destinado a empresários, executivos e servidores de empresas e instituições engajadas com o comércio exterior, cujo objetivo é mostrar que o Ceará tem se transformado a cada ano, com a inserção de novos setores exportadores e expressivos ingressos de capitais estrangeiros em sua economia. A partir do curso de Comércio Exterior da Universidade de Fortaleza (Unifor), com a coordenação e direção da professora Mônica Luz, os alunos fazem a diferença no projeto e realizam com afinco e profissionalidade as atividades de internacionalização e divulgação.

A professora Mônica Luz salienta que o projeto Ceará Global é considerado atualmente o canal de comunicação da Câmara Setorial de Comércio Exterior e Investimentos Estrangeiros com o mundo. Segundo ela, o projeto traz aos alunos participantes a oportunidade de estar entre os grandes players do comércio exterior cearense. “Com o projeto, os alunos adquirem conhecimentos complementares aos conteúdos apreendidos em sala de aula e ficam mais próximos das diversas demandas e possibilidades de atuação da área”, ressalta.

Alunos destacam importância do projeto

Isabel Duarte, aluna do curso de Comércio Exterior e integrante da equipe, exalta o curso e relata ainda que o Ceará Global tem notável relevância no cenário do Comércio Exterior cearense, profissão ligada diretamente ao meio internacional, em que estrangeiros procuram saber mais sobre o Estado, tendo acesso rápido e fácil a essas informações. “Quanto mais conseguimos alcançar o investidor estrangeiro, maior será o impacto no mercado de trabalho em nossa  área. Portanto, melhor para o estudante do curso de Comércio Exterior. Dentro do curso, além do conhecimento sobre processos internacionais, exportação e importação, trabalhamos bastante com economia, gestão, marketing, etc. Por isso, temos visão sistêmica sobre qualquer área que atuarmos. Adquirimos conhecimentos sobre como funcionam os diversos processos,e setores de uma empresa, e isso faz muita diferença”, afirma.

Para Isabel também é importante reconhecer o empenho coletivo dos colegas na realização do projeto. “Reunimos o máximo de informações e traduzimos para postarmos em nossas redes sociais e site. Nesse processo, eu ajudo na tradução das matérias e também nas postagens. O mais incrível do projeto é que além de exercitar outra língua, convivo todos os dias com todo o acervo de notícias e consigo perceber que o Ceará é um Estado em ascensão no mercado externo, o que para mim é muito positivo. Além disso, acho importante e sério nosso empenho no projeto, sinto que temos nossa parcela de contribuição mostrando o potencial do nosso Estado. O que fazemos é bem simples, mas, com certeza, tem um impacto lá fora”, destaca.

Lorena Feitosa, também integrante da equipe, que realiza entrevistas e traduções de notícias, menciona o aprendizado com nomes do comércio exterior do Ceará. “Temos um amplo conhecimento sobre as transações e investimentos estrangeiros que ocorrem no Estado, nos deixando sempre atualizados. Além da plataforma online, existe o evento do Projeto que, pelo menos pra mim, agregou muito, conheci muitas pessoas influentes na minha área, tanto aqui no Ceará, como em todo o Brasil”, ressalta.

Ela também aborda as vantagens e oportunidades que o curso de Comércio Exterior da Unifor disponibiliza a seus alunos. “Um maior conhecimento sobre exportação e importação, com cursos, palestras, aulas práticas, disciplinas bilíngues, entre outras coisas que a Universidade oferta. A dupla graduação, em Comércio Exterior e Economia [2 cursos em 5 anos]; a dupla titulação na França e Alemanha; a trilha de formação, onde podemos escolher entre 5 áreas, aquela que mais nos interessamos e cursá-la junto com a graduação [podendo fazer também na dupla titulação]. Fortaleza é uma cidade que está crescendo muito internacionalmente, devido aos portos (Porto do Pecém e Porto do Mucuripe). Logo, muitos investidores apostam aqui, trazendo empresas e movimentando ainda mais a balança comercial. O maior diferencial do curso para mim, é o Núcleo de Prática em Comércio Exterior (Nupex), onde os alunos, com professores, fazem planos de internacionalização de empresas cearenses”.

Érika Neves, também aluna de Comércio Exterior e uma das responsáveis na captação, edição e tradução de textos das notícias, relata que a ação é uma oportunidade para conhecer os diversos cenários que envolvem nosso estado dentro da economia internacional. “Por lá temos acesso a dados sobre exportações e importações do Ceará, tomamos conhecimento de parcerias, feiras, negociações que estão acontecendo atualmente. A equipe se reveza na captação, edição e tradução de textos que são notícias já publicadas pelos jornais do Ceará. Fazemos uma espécie de curadoria para filtrar as principais notícias a respeito da atuação do Estado no comércio internacional e publicamos nos canais de mídia do projeto”.

Ela também destaca a importância do curso em sua formação. “O curso é dividido entre teorias da economia e comércio internacional e a prática e atuação no mercado de trabalho. Os professores são altamente capacitados. Vejo muitas oportunidades de estágio para quem já está terminando o curso, como trainees em grandes multinacionais. Por ser o único da categoria no Ceará, o curso de Comércio Exterior da Unifor é fundamental e capacita o estudante a atuar na intermediação de operações de exportação e importação, conhecer a legislação a respeito de comércio entre os países, além de oferecer disciplinas em inglês e a oportunidade de dupla titulação internacional através de uma universidade na Alemanha”, finaliza Érika.

Único bacharelado em Comércio Exterior e Negócios Internacionais do Ceará, o curso da Unifor foi destaque nas duas últimas avaliações do Ministério da Educação, realizadas em 2012 e 2015, obtendo a nota máxima em ambas. O reconhecimento não é à toa, segundo o professor Chico Alberto. “Esse desempenho é resultado do ensino de qualidade oferecido aos alunos com disciplinas em inglês, um programa com dupla titulação estrangeira, sendo uma no Brasil e outra no exterior, intercâmbio com mais de 100 instituições situadas em 30 países e o Núcleo de Práticas em Comércio Exterior (Nupex), em que os alunos, sob a supervisão de professores do curso, já desenvolveram mais de 30 projetos de exportação/importação internacional para as pequenas e médias empresas cearenses”, destaca. Em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), o Nupex desenvolveu projetos de exportação para oito empresas do setor moveleiro e cinco empresas do setor de cosmético e perfumaria.

O quadro docente é outro destaque do curso da Unifor: atualmente, 88% dos professores são mestres e doutores e 90% deles atuam diretamente no mercado de trabalho, trazendo novidades e casos reais para dentro da sala de aula. Além de todas essas vantagens e diferenciais, o estudante que desejar expandir ainda mais seus conhecimentos pode concluir em cinco anos duas graduações: Ciências Econômicas e Comércio Exterior, isso porque a universidade permite a dupla graduação.

Vale ressaltar que a Unifor é a única instituição de ensino superior cearense que participa da Câmara Temática de Comércio Exterior e Investimentos Estrangeiros, o CT Exporta Ceará, ferramenta criada pelo Governo do Estado para atuar com todas as instituições que lidam com o comércio exterior no estado do Ceará a fim de identificar oportunidades e dificuldades a serem superadas para garantir a competitividade e o desenvolvimento sustentável das ações de comércio exterior e investimentos estrangeiros do Ceará.

O advento da nova economia, ao demandar mudanças contínuas nas relações econômicas, políticas e sociais entre os países, exige a formação de um profissional capaz de lidar com essa realidade, que exige conhecimentos teóricos e práticos em comércio exterior, negociações e gestão corporativa em âmbito internacional. “Desde a sua criação, a matriz curricular do curso passou por cinco atualizações, sendo a última implementada no segundo semestre de 2017, o que demonstra o acompanhamento da dinâmica das mudanças nesse contexto do saber. Somos o único curso do Brasil a ter concessão de nota máxima do Ministério da Educação por duas vezes consecutivas, e pretendemos elevar ainda mais este padrão”, garante Chico Alberto, coordenador do curso de Comércio Exterior da Unifor.

  • Único bacharelado do Ceará em Comércio Exterior, com matriz curricular que abrange a internacionalização de empresas, finanças e negócios
     
  • Pioneiro do Brasil em ofertar disciplinas bilíngues: o aluno pode optar por aulas ministradas em inglês, exercitando a língua mais utilizada nos negócios internacionais
     
  • Única graduação do Brasil a receber por duas vezes consecutivas a nota máxima do MEC
  • Matriz curricular na sua quinta atualização, para acompanhar as mudanças em nível internacional
     
  • Disciplinas ministradas em língua estrangeira, equivalentes as de cursos do mesmo gênero ofertadas por universidades no exterior
     
  • Por meio das Trilhas de Formação, o aluno tem a oportunidade de, ao final do curso, se certificar, sem custo adicional, em Finanças, Logística, Marketing, Accounting e Cenários Econômicos para Negócios.
     
  • Convênio de Dupla Titulação Internacional com Deggendorf Institute of Technology, na Alemanha
     
  • Núcleo de Práticas em Comércio Exterior (NUPEX). Os alunos, supervisionados pelos professores do núcleo, elaboram Planos de Exportação e Importação para as pequenas e médias empresas cearenses. Desde 2015, mais de 30 empresas do Ceará receberam planos de exportação ou importação
     
  • Programa Práticas Empresariais em Negócios Internacionais e Comércio Exterior, realizado em parceria com empresas e instituições que lidam com comércio exterior no Ceará. Profissionais ministram cursos de curta duração para os alunos voltados para seus negócios.
     
  • Programa de estágio em parceria com o Centro Internacional de Negócios da FIEC. Os alunos participam do curso da elaboração e execução de projetos de exportação para as empresas filiadas à FIEC, tendo beneficiado 13 empresas.
     
  • Por meio da Câmara Temática de Comércio Exterior do Ceará, o NUPEX participa do Projeto de Extensão Industrial Exportadora, do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior.
     
  • Nova matriz torna obrigatória a disciplina Plano de Negócios Internacionais, integralmente lecionada no NUPEX
     
  • Metodologias de ensino modernas
     
  • Capacitação permanente do corpo docente
     
  • Disciplinas práticas, desenvolvidas em laboratórios e voltadas para a solução de problemas reais enfrentados pelos profissionais nas suas diversas áreas de atuação
     

Mercado de trabalho de comércio exterior se expande com grandes investimentos no Ceará

Chico Alberto, coordenador do curdo de Comércio Exterior da Unifor. Foto: Ares Soares.

Em função da globalização e do avanço constante da tecnologia, os mercados internacionais estão cada vez mais integrados, exigindo profissionais qualificados na internacionalização de negócios. “Para atender essa exigência, o aluno egresso do curso de Comércio Exterior da Universidade de Fortaleza tem uma visão ampla e global da atividade empresarial, estando apto a atuar nas diversas áreas de gestão de grandes empresas, tais como compras (com o conhecimento dos processos e legislação pertinentes às importações), financeira (com a formação em finanças internacionais), logística (com o conhecimento de logística internacional), vendas (com o conhecimento dos processos e legislação relacionados às exportações) e marketing, incluindo as especificidades do marketing internacional, dentre outras”, destaca o professor Chico Alberto, coordenador do curso de Comércio Exterior da Unifor. 

Essa realidade acaba tendo repercussão, claro, na expansão do mercado de trabalho das regiões voltadas para exportação e importação de produtos e serviços. No caso do Ceará, isso não é diferente. “Podemos afirmar, sem sombra de dúvida, que esse mercado de trabalho está em franca expansão em nosso estado, e isso se deve a grandes investimentos realizados pelo governo do Ceará nos últimos anos visando a ampliação do mercado internacional do estado. São exemplos desses grandes projetos a expansão do porto do Pecém, agora sob gestão da holandesa Port of Rotterdam Internacional (PoRin), que administra o porto de Roterdã, e a implantação da Zona de Processamento de Exportação do Ceará (ZPE), que viabilizou a instalação da Companhia Siderúrgica do Pecém no município de São Gonçalo do Amarante”, complementa o professor Chico Alberto.

No caso da ZPE, o coordenador do curso de Comércio Exterior da Unifor ressalta que é a única em funcionamento no Brasil atualmente, atraindo exatamente por isso investimentos que originariamente poderiam estar indo para outros estados do País. Outro fator que contribui para a expansão do mercado de trabalho é o funcionamento da companhia siderúrgica, instalada no complexo portuário do Pecém, que atrai empresas periféricas, fornecedoras de produtos e serviços complementares à produção do aço.

Além dos investimentos concentrados em São Gonçalo do Amarante, o Governo do Estado tem procurado contemplar outros municípios da Região Metropolitana de Fortaleza e do interior cearense. Em Fortaleza, o caso mais recente é a instalação do hub da companhia aérea franco-holandesa Air France/KLM, em parceria com a brasileira Gol, abrindo ainda mais o Ceará para o mercado europeu. Com o hub, inaugurado em maio passado, são ofertados três voos diretos semanais para Amsterdã. E duas rotas com destino a Paris. Em outubro, o Aeroporto de Fortaleza ganhará mais um voo direto para a capital francesa, totalizando três frequências.

“Não podemos esquecer que todos esses grandes projetos internacionais, além da expansão dos negócios das empresas que atuam no mercado interno em busca do mercado exterior, terceirizam trabalhos dos profissionais de Comércio Exterior por meio das chamadas trading companies, que viabilizam a entrada dessas empresas no mercado internacional”, frisa o professor Chico Alberto. Segundo ele, essa é outra fatia do mercado de trabalho que tem se expandindo consideravelmente nos últimos anos, atraindo muitos egressos da Unifor.

Além do Pecém e Fortaleza, o professor Chico Alberto cita ainda como centros de atração de mão obra especializada em comércio exterior o Distrito Industrial de Maracanaú e os municípios de Sobral, Juazeiro e Eusébio. No caso deste último, ele destaca o Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS), que iniciou suas atividades em 26 de junho com a inauguração da sede cearense da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O espaço de 73 hectares, cedido pelo Governo do Ceará, concentrará instituições do Brasil e Exterior, abrindo caminhos para que o Ceará se torne referência em pesquisa e desenvolvimento tecnológico e industrial na área da saúde.

Já no caso do Nordeste, o professor Chico Alberto enumera ainda o Polo Petroquímico de Camaçari, na Bahia, e o Complexo Industrial Portuário Governador Eraldo Gueiros, conhecido como Porto de Suape, localizado em Pernambuco, que, juntos, têm recebido grandes investimentos públicos e privados. “Além da indústria e do segmento de serviços, o agronegócio também tem gerado grandes investimentos na região Nordeste, contribuindo também para a atração de profissionais especializados em comércio exterior”, pontua Chico Alberto.

News Navigation Portlet está temporariamente indisponível.