angle-left Fies e P-Fies: conheça a diferença entre os financiamentos estudantis

Seg, 22 Abril 2019 14:03

Fies e P-Fies: conheça a diferença entre os financiamentos estudantis

Os alunos da Unifor podem contar com programas de crédito estudantil chancelado pelo Governo Federal


Com o Fies, estudantes podem financiar seu curso de graduação em instituições de ensino particulares (Foto: Saulo Galdino)
Com o Fies, estudantes podem financiar seu curso de graduação em instituições de ensino particulares (Foto: Saulo Galdino)

Não bastassem os estudos, outra preocupação que ronda a cabeça dos vestibulandos é como financiar os estudos. Confira abaixo como ter acesso aos programas de crédito estudantil, com condições facilitadas e valores a serem pagos depois de formado.

Geração após geração, muitas famílias brasileiras sonham com a possibilidade de seu filho “virar doutor”, ou mesmo melhorar a renda por meio da educação, galgando novas possibilidades no mercado. Muitos, porém, esbarram no custo de uma graduação.

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) completa 20 anos em 2019. Estudantes que não teriam condições de bancar uma graduação fazem um empréstimo junto ao programa do Governo Federal, a ser pago após a conclusão do curso.

Desde o ano passado, foram feitas mudanças no financiamento estudantil com o objetivo de aumentar o escopo de estudantes atendidos. Vale lembrar que não é possível mudar de uma modalidade para outra ao longo do período de financiamento. Confira abaixo as diferenças.

Fies

Para ter acesso, o candidato deve ter realizado qualquer edição do Enem a partir de 2010 e ter obtido desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas, sem ter zerado a redação.

Na Modalidade I, a oferta de vagas tem juros zero para os estudantes com uma renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos. O pagamento das prestações considera o limite de renda do aluno, tornando os encargos bastante reduzidos. O Fies cobra de 50% a 100% da mensalidade do curso escolhido, para ajudar as famílias com renda insuficiente para arcar com o valor.

P-Fies

Correspondente às Modalidades II e III do novo Fies, o P-Fies também é um financiamento estudantil, mas o empréstimo é feito junto a um banco privado, com juros estipulado pelo agente operador de crédito. Assim, quem opta pelo P-Fies consegue um financiamento mais barato que o mercado (pois o fundo é financiado com recursos públicos), porém mais caro que o da modalidade I.

Modalidade II: voltada para os estudantes com uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Os recursos utilizados são dos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento.

Modalidade III: engloba estudantes de todas as regiões do Brasil com uma renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos. Os recursos são do BNDES.

Seleção

Na modalidade de financiamento do Fies, os resultados têm uma única chamada e lista de espera, e a classificação é baseada no desempenho do aluno no Enem. Já para quem concorrer na modalidade do P-Fies, os resultados terão apenas a chamada única. Outra novidade trazida a partir deste ano é que o P-Fies deixou de utilizar a nota do Enem na classificação. Com isso, conseguirá as melhores oportunidades aqueles que se inscreverem com antecedência.

Mais informações: http://fies.mec.gov.br/