angle-left Projeto da Fundação Edson Queiroz recolhe 351,50 quilos de resíduos do litoral de Fortaleza

Seg, 13 Agosto 2018 18:50

Projeto da Fundação Edson Queiroz recolhe 351,50 quilos de resíduos do litoral de Fortaleza

Alunos, professores e colaboradores da Unifor participaram de ação nas praias de Fortaleza coletando resíduos recicláveis (Foto: Ares Soares)
Alunos, professores e colaboradores da Unifor participaram de ação nas praias de Fortaleza coletando resíduos recicláveis (Foto: Ares Soares)

Em comemoração ao Dia do Estudante, a Fundação Edson Queiroz realizou, no dia 11 de agosto, o projeto “Praia Linda, Praia Limpa”. A ação mobilizou estudantes dos quatro centros de ciências da Universidade de Fortaleza, professores e colaboradores da Unifor, além de contar com orientação de professores do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária e de técnicos da Prefeitura de Fortaleza sobre a coleta de resíduos recicláveis, como sacos, garrafas e copos plásticos e latinhas de cerveja e refrigerante. Também foram repassadas informações para a população sobre o descarte correto de materiais reaproveitáveis.

O aluno da Unifor sorteado para visitar o Projeto Tamar, na praia do Forte, no município de Mata de São João, na Bahia, foi Deivid Dark de Sousa, do curso de Direito.

As praias escolhidas para o projeto foram: Barra do Ceará, onde a ação recolheu 95 quilos de resíduos; Praia de Iracema, com coleta de 73,5 quilos de resíduos; Praia do Futuro, com 50 quilos, e Praia da Sabiaguaba, com 133 quilos de materiais, totalizando 351,50 quilos de resíduos.

A Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu (Socrelp) recebeu 168,50 quilos de material reciclável, recolhidos nas Praias de Iracema e da Barra do Ceará. Já os 183 quilos de resíduos coletados nas Praias do Futuro e Sabiaguaba foram destinados à Associação dos Catadores do Jangurussu (Ascajan).

Adalton Toquarto Barbosa, coordenador de finanças da Ascajan, recebeu a doação da FEQ ressaltando a importância da ação: “A iniciativa da Unifor é importante porque vai contribuir com a produtividade e aumentar a remuneração dos associados”. A Associação dos Catadores do Jangurussu existe desde 2006. Conta atualmente com 68 catadores: 38 estão localizados no galpão ao lado do antigo aterro do Jangurussu e o restante, divididos em shopping centers e redes de supermercados. Também participou da entrega da coleta Orleans Dutra, articulador da coleta seletiva e reciclagem da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza (Seuma).

Para o coordenador do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Unifor, professor Oyrton Azevedo, a ação é uma experiência única para os alunos envolvidos no projeto: “Eles participam diretamente do processo de recolhimento do material que iria para os oceanos, o que faz surgir uma consciência ambiental. Dessa forma, descobrem durante o processo a importância de vir à praia coletar e levar seu próprio lixo, ou coletar e levar para o descarte correto o que já está lá”, ressalta.

Durante a ação na Praia da Barra do Ceará, foi forte a presença de banhistas e moradores ajudando e observando a ação: “Para eles, moradores, no primeiro momento é uma ação estranha, recolher o lixo, por isso estamos aqui para explicar que o nosso trabalho se origina do fato de não termos ainda uma educação ambiental. Explicamos que esse material que descartamos na praia, na verdade, deveria voltar para a indústria, fechando o ciclo da população, que traz esses resíduos para as praias. Mas enquanto isso não acontecer nós vamos ver nossas praias sujas e o descarte incorreto dos nossos resíduos”, conclui.

Para a secretária Margarete Alves, frequentadora da praia da Barra do Ceará, ações como esta são muito importantes para a cidade: “Servem não apenas para limpar a praia, mas conscientiza as pessoas da relevância de manter a praia limpa, uma vez que são as próprias pessoas que a frequentam que deixam lixos e sujeiras”, declara.

A aluna do 3º semestre de Medicina Veterinária, Carolina Pinheiro, participou da ação e era uma das mais animadas com a ação de limpeza da praia: “Fiquei impressionada e ao mesmo tempo assustada com a quantidade de palitinhos de madeira, que são perfurantes e bem pontudos, que ficam na areia e machucam as pessoas. Enchemos uma garrafa com esse material”. A estudante conta que nunca havia participado de algo assim: “Foi uma experiência muito rica e interessante, com certeza participarei outras vezes”.

A ação também contou com a ajuda de estudantes do curso de Engenharia Ambiental da Unifor, como é o caso do aluno Isaac César, que já realizou atividades de limpeza de praias, em toda a faixa litorânea de Fortaleza. O aluno participou do processo de escolha das áreas para a ação na Barra do Ceará: “Escolhemos trabalhar a região do Marco Zero da Barra do Ceará até a Barraca de Praia FF, por ter uma grande faixa de areia, que infelizmente ainda tem muito acúmulo de materiais recicláveis que demoram a se decompor na natureza, o que gera diversos impactos para os animais marinhos”.

O estudante engajado em iniciativas ecológicas acredita que a integração da população em atividades como essa reforça uma carência: “A população é um pouco carente dessas atividades, o que implica ter cada vez mais essas ações de educação ambiental. É interessante e muito legal ver a população fazendo algo também pelo bem de todos, ainda mais que eles moram aqui na Barra”, finaliza.