CAMPUS SAUDÁVEL

Personagem Moema de máscara

Unifor desenvolve protocolo de biossegurança para o retorno gradual das atividades no Campus

O retorno gradual das atividades presenciais no campus da Universidade de Fortaleza, da Fundação Edson Queiroz, em meio à pandemia de Covid-19 requer muito cuidado e atenção. Colocando a saúde da comunidade acadêmica em primeiro lugar, a instituição elaborou um protocolo de biossegurança seguindo as normas de distanciamento social, proteção individual e higiene do Plano Estadual de Contingência do Ceará.

A previsão é que o retorno gradual tenha início em breve, de acordo com a decisão das autoridades governamentais. Para isso, o protocolo de biossegurança estabelece o uso de máscaras descartáveis e de tecido como equipamento de proteção individual obrigatório. Conforme a necessidade e finalidade de cada setor, também será obrigatório o uso de outros equipamentos, tais como óculos, face shield, luva, gorro, avental e pró-pés.

Em todos os ambientes do campus, será disponibilizado álcool a 70%, haverá limpeza diária dos ambientes de trabalho e atendimento, banheiros, bebedouros, salas de aula e laboratórios. No caso dos bebedouros, a torneira estará disponível para encher garrafas de uso individual. Haverá também marcação nos espaços onde houver necessidade de impedir aglomeração, garantindo o limite seguro de ocupação em todo o campus.

O uso dos espaços e laboratórios só poderá ser feito com agendamento. É importante evitar o uso do ar-condicionado e buscar abrir as janelas para promover a ventilação natural. Reuniões, grupos de estudo e confraternizações estão proibidas presencialmente, estas devem ser feitas usando o ambiente virtual. A alimentação só será permitida nos ambientes indicados e seguindo as orientações que serão sinalizadas.

“A biossegurança é de responsabilidade individual e coletiva. É muito importante que todos os funcionários, professores, alunos e visitantes sigam com rigor as medidas de proteção contra o risco biológico. Estamos vivendo o maior desafio sanitário da nossa geração. É importante refletir que, além das regras de convivência dentro do campus, devemos seguir procedimentos básicos no trajeto de ida e volta para a Universidade e, sobretudo, em nossas casas. É preciso cuidarmos uns dos outros e proteger nossas famílias do risco de contaminação”, ressalta a professora Lia Brasil, diretora do Centro de Ciências da Saúde e coordenadora do Comitê d Biossegurança da Unifor.