angle-left Universidade de Harvard e Universidade de Fortaleza desenvolvem pesquisa sobre chikungunya

Sex, 22 Novembro 2019 15:28

Universidade de Harvard e Universidade de Fortaleza desenvolvem pesquisa sobre chikungunya

Estudo alerta o potencial letal causado pelo vírus chikungunya


Antonio Silva Lima Neto, professor do curso de Medicina da Universidade de Fortaleza. Foto: Ares Soares.
Antonio Silva Lima Neto, professor do curso de Medicina da Universidade de Fortaleza. Foto: Ares Soares.

O docente da Universidade de Fortaleza Antônio Silva Lima Neto publicou recentemente o artigo "Chikungunya-attributable deaths: A neglected outcome of a neglected disease" em parceria com pesquisadores da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza e da Universidade de Harvard. 

A pesquisa tem como objetivo compreender os determinantes fatores de risco e condições associadas às mortes por chikungunya na cidade de Fortaleza e foi publicada em em revista de Qualis A1, o mais alto nível de importância do sistema de classificação da produção científica brasileira. 

O trabalho foi feito através de análise de dados produzidos pelo município de Fortaleza, cidade que mais confirmou mortes por chikungunya nas Américas. Antônio explica que o artigo busca alertar para um evento até recentemente desconhecido: O potencial letal causado pelo vírus chikungunya. 

“Creio que a importância deste estudo para a sociedade esteja no fato de o que ocorreu na cidade de Fortaleza foi algo grave. Em dois anos, tivemos 80 mil casos de chikungunya confirmados na capital e por não se saber da letalidade, os pacientes não eram acompanhados de forma correta”, enfatiza. 

Antônio ressalta que as mortes ainda são negligenciadas e que a comprovação ocorre por meio de estudos, em que se encontram excesso de mortes sempre na vigência das epidemias de chikungunya. O médico acrescenta que os atuais protocolos clínicos do vírus devem ser revistos com o objetivo de prevenir a mortalidade, além da elaboração de novos protocolos para gerenciar casos de chikungunya. 

Desde o ano de 2014, a Universidade de Fortaleza possui um projeto com a Universidade de Harvard, através da Escola de Saúde Pública (Harvard School Of Public Health), que envolve também a Secretaria Municipal de Saúde. 

A colaboração entre as instituições tem como objetivo elucidar, compreender e investigar aspectos relacionados às doenças e aos agravos mais comuns na cidade de Fortaleza.