Quero Inovar

Um profissional coça a cabeça enquanto vê um painel de ideias.

 

A figura abaixo fornece uma visão macro dos caminhos da inovação na Unifor. Pode-se ver que há duas camadas básicas que se inter-relacionam: a camada superior refere-se ao desenvolvimento de ideias vindas de entidades externas à Unifor (como empresas e demandas de mercado). A camada inferior, por sua vez, refere-se às ideias que nascem, quase que cotidianamente, da produção intelectual de alunos e professores.

 


Os caminhos que perfazem a camada superior são normalmente tomados quando empresas recorrem a Unifor para que a expertise presente na academia possa apoiar no desenvolvimento de soluções para problemas práticos. Essa interação entre empresa e universidade não ocorre exclusivamente em um sentido. Muitas vezes cabe a própria universidade induzir essa interação e mesmo apoiar na identificação de problemas que as empresas possuem, e que às vezes nem sabem, mas não sabem resolver.

Já os caminhos que compõem a camada inferior são trilhados pelos alunos e professores da Unifor. Trata-se aqui de fornecer condições para que as ideias que nascem de teses, dissertações e trabalhos acadêmicos de uma forma geral, possam ter aplicação prática e impacto social e/ou econômico.

 

O aluno que tiver um projeto inovador pode submetê-lo, o qual será inicialmente avaliado quanto à viabilidade como projeto de inovação e quanto à possibilidade de receber algum apoio institucional para o seu desenvolvimento. Essa etapa deve ocorrer periodicamente, com chamadas através de editais de acordo com a demanda e a critério da DPDI.

As ideias propostas podem receber apoio na forma de bolsas de pesquisa, consultoria, suporte ao desenvolvimento de protótipo, intermediação com o mercado ou captação de recurso, a critério da direção da DPDI.

A seleção de ideias consiste em uma análise dos pré-projetos enviados eletronicamente para avaliação. Os selecionados na primeira análise passam então por um processo de entrevista. De uma forma geral, os critérios para seleção deverão considerar:

  • Potencial inovador da ideia;

  • Nível de maturidade do projeto;

  • Capacidade técnica do(s) realizador(es);

  • Potencial de registro de propriedade intelectual;

  • Artigos, dissertações, teses ou TCCs associados.


A etapa de seleção de ideias é conduzida pela Câmara Interna de Inovação Tecnológica, que é uma órgão auxiliar na DPDI, a qual mensalmente irá se reunir para analisar os projetos submetidos e dar as respectivas respostas independentemente de existirem editais ativos.

Paralelamente, os alunos que desejam inovar podem submeter solicitações de financiamento por bolsas em resposta a chamadas de editais de fomento lançados por agências como CNPQ, FINEP, FUNCAP e CITINOVA.

Editais

EDITAL R Nº 02/2019 - APOIO INSTITUCIONAL PARA PROJETOS DE INOVAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO - CAMINHOS DA INOVAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO

Mais informações: Unifor lança 2ª edição do edital de apoio a projetos de inovação para alunos

Os professores podem submeter solicitações de bolsas em resposta a chamadas de editais lançados pela Universidade de Fortaleza, além dos editais de fomento lançados por agências como CNPQ, FINEP, FUNCAP e CITINOVA

Via Edetec

O Edetec apoiará empreendedores interessados em criar, desenvolver e/ou consolidar empresas, por meio do uso e compartilhamento de área física, infraestrutura, recursos, facilidades, serviços e apoios descritos no CONTRATO DE PERMISSÃO DE USO DE SISTEMA COMPARTILHADO, na forma dos seguintes programas:

  • PRÉ-INCUBAÇÃO: auxilia a criação de novas empresas; na concepção de produtos, processos ou serviços inovadores de base tecnológica, na estruturação do modelo de negócios, na identificação de competências; na viabilização de operações e formalização do empreendimento. Também atende empresas em fase de realização de testes e finalização do protótipo do produto. As empresas que integram esse programa poderão optar por utilizar uma sala compartilhada nas dependências do Edetec, denominada de Sala de Pré-Incubação.

  • INCUBAÇÃO: auxilia no desenvolvimento de produtos, processo ou serviços inovadores de base tecnológica; na mobilização de competências e recursos físicos; na captação de recursos financeiros; no estabelecimento de parceria com outras instituições e empresas e no atingimento do mercado.

O Edetec se propõe a fornecer à empresa residente os serviços, apoios e infraestrutura previstos no CONTRATO DE PERMISSÃO DE USO DE SISTEMA COMPARTILHADO. Dentre eles:

  • Permissão de uso do MÓDULO DA EMPRESA;

  • Promoção de interação com entidades de ensino e pesquisa, principalmente com as da Unifor, para acesso às competências, informações científicas ou tecnológicas, e serviços;

  • Estímulo à cooperação técnico-científica com instituições conveniadas à Unifor;

  • Acompanhamento e avaliação do desenvolvimento da empresa;

  • Apoio na identificação de pesquisadores, especialistas e técnicos que eventualmente possam colaborar no aprimoramento dos produtos, processos e serviços em desenvolvimento;

  • Apoio na identificação de assessorias e consultorias especializadas na área gerencial, operacional, financeira, mercadológica e legal, visando o auxílio na gestão dos negócios;

  • Apoio na capacitação técnica e gerencial por meio da divulgação de cursos, seminários e palestras, focando tanto a área gerencial como a tecnológica;

  • Apoio na participação em feiras, congressos, rodas de negócios, missões comerciais e outros eventos pertinentes à área de atuação da empresa;

  • Divulgação institucional das empresas e de seus produtos, processos e serviços;

  • Disponibilização, para uso temporário, de equipamentos e mobiliário do patrimônio da Unifor;

  • Permissão de uso compartilhado das áreas e recursos da estrutura da Unifor disponibilizadas ao Edetec, tais como sala de reunião, copa, recepção, laboratórios, banheiros e estacionamento;

  • Permissão de uso compartilhado de serviços condominiais, tais como: recepção, secretaria, apoio administrativo, infraestrutura de acesso à internet e rede local de computadores, limpeza e manutenção das instalações físicas, manutenção de equipamentos do patrimônio da Unifor, segurança 24 horas, água e energia, endereço postal e ramal telefônico.

Pelo uso das instalações, apoios e serviços, as EMPRESAS RESIDENTES pagarão à FEQ/Unifor, mediante apresentação de faturas acompanhadas de demonstrativos, os custos referentes aos seguintes itens:

  • USO DAS INSTALAÇÕES: apurados com base no número de metros quadrados de uso exclusivo da EMPRESA RESIDENTE. O valor por metro quadrado, bem como os critérios de reajustamento, constarão do CONTRATO DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA COMPARTILHADO;

  • USO DE UTILIDADES COMUNS: apurados com base nas despesas comuns a todas as EMPRESAS RESIDENTES, rateadas na proporção utilizada por cada empresa;

  • CONSUMO DE ENERGIA: apurados por meio de medição de consumo individual do MÓDULO DA EMPRESA. Na impossibilidade de medição individual mensal, o consumo será apurado com base na carga nominal instalada em cada MÓDULO DA EMPRESA. O valor do Kwh de referência será o estabelecido pela concessionária de distribuição de energia elétrica local;

  • ACESSO À INTERNET: gratuito por meio de acesso sem fio (WiFi) pela rede Unifor Mobile. Caso a EMPRESA RESIDENTE opte por serviço de acesso à internet cabeado, será cobrada mensalmente taxa atribuída a esse serviço pelo NATI;

  • SERVIÇOS ESPECÍFICOS UTILIZADOS: apurados com base nas solicitações efetuadas por cada EMPRESA RESIDENTE, em decorrência do uso efetivo de serviços específicos prestados.

A FEQ/Unifor subsidiará os custos do USO DAS INSTALAÇÕES e USO DE UTILIDADES COMUNS para cada EMPRESA RESIDENTE, de acordo com as seguintes programas e fases e respectivos percentuais:

Programa de Pré-Incubação: sem custo para empresas que não fizerem uso de espaço físico individual ou compartilhado. No caso de uso de espaço compartilhado, os custos do espaço serão rateados pelas empresas usuárias;

  • Programa de Incubação:

    • Fase I – Implantação – até 12 meses após assinatura do contrato: 90% de subsídio;

    • Fase II – Desenvolvimento – até 12 meses após a finalização da Fase I: 50% de subsídio;

    • Fase III – Consolidação – até 12 meses após a finalização da Fase II: 20% de subsídio.

Terminado o prazo da Fase III e havendo disponibilidade de espaço físico no Edetec, poderá ser autorizada a permanência da empresa que apresentar e justificar pedido com esta finalidade, sem aplicação de qualquer subsídio.

O valor da taxa de USO DAS INSTALAÇÕES é corrigido anualmente (mês de março) na mesma proporção da variação do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade de cobrança dessa taxa é mensal.

Via TEC

O ingresso ao TEC Unifor constitui o estabelecimento de um programa de cooperação e intercâmbio científico e tecnológico, amparado pela legislação brasileira, abrangendo atividades de pesquisa, desenvolvimento e serviços científicos e tecnológicos, formação e capacitação de recursos humanos, absorção e transferência de tecnologias, bem como outras iniciativas em assuntos de interesse comum.

Os seguintes benefícios são ofertados pela FEQ/Unifor à empresa que deseje participar do TEC Unifor:

  • Acesso a infraestrutura da Universidade com banheiros, bebedouros, praça de alimentação, agência bancária, áreas de convivência e segurança.

  • Ceder onerosamente espaço físico próprio, adequado à atividade de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) e Prestação de Serviços em Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), inicial de 80 m2 (oitenta metros quadrados)

  • Fornecer sob responsabilidade da DPDI, capacitação gratuita em tecnologias inovadoras para funcionários da EMPRESA em turmas de pelo menos 20 (vinte) participantes e que perfaçam, no ano, uma carga horária total de 40 (quarenta) horas.

  • Apoiar na formulação de projetos de PD&I para captação de recursos.

  • Fornecer contrapartidas não-financeiras, em projetos considerados estratégicos pela Universidade, de forma que as condições de desenvolvimento do projeto sejam potencializadas.

  • Cessão de laboratórios de informática para realização de cursos tecnológicos pela EMPRESA, de acordo com a demanda desta e disponibilidade da FEQ/Unifor.

  • Utilização de estacionamento pelos funcionários da EMPRESA, na quantidade de 01 (uma) vaga, sujeita à disponibilidade (da vaga) no estacionamento dos funcionários da Unifor e com a ressalva quanto à possibilidade de pagamento, caso o estacionamento da Universidade passe a ser remunerado.

  • Permissão para utilização das dependências em horários alternativos, considerando modalidades de serviços com características de atendimento 24 (vinte e quatro) horas por dia, 07 (sete) dias por semana, incluindo sábados, domingos e feriados.

  • Fornecer desconto de 10% a funcionários das empresas associadas em cursos de pós-graduação lato sensu da Unifor.

Em contrapartida aos benefícios ofertados pela FEQ/Unifor, a empresa compromete-se a:

  • Apresentar projeto técnico e arquitetônico completo para o espaço contratado

  • Arcar com os custos da reforma, caso seja de seu interesse, além de mobiliários a serem colocados no espaço cedido no Parque.

  • Zelar pela conservação e limpeza da sala, efetuando os reparos necessários e arcando com os custos decorrentes destes.

  • Aportar anualmente, projetos de PD&I, em parceria com a Unifor, em valores estabelecido.

  • Fornecer pelo menos uma palestra semestral sobre necessidades do mercado e / ou temas afins, de forma que a identificação de oportunidades de inovação ocorra em caráter permanente.

  • Realizar capacitações em tecnologias utilizadas pela empresa a turmas de, pelo menos, 20 (vinte) pessoas indicadas pela Unifor (estudantes e / ou funcionários) e que perfaçam, no ano, uma carga horária total de, pelo menos, 80 (oitenta) horas.

  • Será paga mensalmente à FEQ/Unifor a título de cessão do espaço, um valor por metro quadrado ocupado.

  • Prover participação financeira, em termos a serem negociados para cada projeto, a partir de faturamentos de produtos e / ou serviços desenvolvidos em conjunto.

O convênio estabelecido entre a Unifor e empresa tem vigência pelo prazo de 5 (cinco) anos a partir da data de assinatura, podendo ser prorrogado mediante Aditivo Específico a ser firmado por escrito entre as partes.

Via Projetos ou Programas de Cooperação Técnica

As empresas podem beneficiar-se das soluções a inovação providas pela FEQ/Unifor sem necessariamente estar vinculados ao Edetec ou ingressar ao TEC Unifor.

Nestes casos, as empresas devem entrar em contato com a DPDI para agender uma reunião para apresentação do problema a ser solucionado e, a partir de então, será analisada a adequação às pesquisas desenvolvidas pelo TEC Unifor e observada a possibilidade de a realização de uma cooperação entre as partes.

A cooperação poderá ocorrer na forma de:

  • Desenvolvimento de projetos de pesquisa, inovação e empreendedorismo;

  • Desenvolvimento de programas de atividades de consultoria nas áreas técnica e científica;

  • Desenvolvimento de programas de treinamento, capacitação e qualificação;

  • Desenvolvimento de programas de apoio técnico;

  • Promoção conjunta de eventos e publicações de interesse comum, no âmbito do ensino, pesquisa e extensão universitária;

  • Interação acadêmica com a empresa;

  • Fortalecimento de estratégias de políticas públicas voltadas à pesquisa, inovação e empreendedorismo.

Caso haja adequação e expertise para a solução do problema a ser resolvido, a empresa deve celebrar um acordo de cooperação técnica com a FEQ/Unifor com a definição das respectivas cláusulas e condições.

Importa estacar que as partes se comprometem a alocar, dentro de suas possibilidades, recursos humanos e materiais, desde que envolvidos em projetos conjuntos, mediante prévio entendimento, respeitados seus regulamentos.

Caso o projeto necessite do repasse de recursos entre os partícipes, este deverá ser efetuado através da celebração de acordo específico ou Termo Aditivo ao acordo de cooperação técnica inicialmente celebrado.