angle-left Pets e isolamento social: como cuidar do meu animal de estimação em meio à pandemia?

Sex, 17 Abril 2020 14:09

Pets e isolamento social: como cuidar do meu animal de estimação em meio à pandemia?

A professora Marília Taumaturgo, do curso de Veterinária da Unifor, compartilha orientações para cuidar de seu “amigo de pelos” durante o período de quarentena.


Até o momento, não existem pesquisas que confirmem a transmissão da doença por meio de cães e gatos (foto: Pixabay)
Até o momento, não existem pesquisas que confirmem a transmissão da doença por meio de cães e gatos (foto: Pixabay)

Com a pandemia do novo coronavírus, uma das principais indicações para se manter protegido é ficar em casa. Ainda assim, muitas pessoas não ficarão sozinhas, pois contam com a presença dos aliados de toda hora: os bichos de estimação. Entretanto, tal como tem acontecido com a maioria de nós, alguns elementos da rotina dos pets também são afetados pelo isolamento social - a hora do passeio, por exemplo, está entre os principais. Dessa forma, como interagir e cuidar de seu companheiro de quatro patas em meio à situação atual?

A primeira preocupação, claro, está na saúde dos bichinhos e no medo da contaminação por COVID-19. De acordo com a professora Marília Taumaturgo, que também é coordenadora do curso de Veterinária da Universidade de Fortaleza, até o momento não existem pesquisas que confirmem a transmissão da doença por meio de cães e gatos. “Existem outros tipos de coronavírus que atingem especificamente esses animais, mas não o recente [tido como ‘coronavírus humano’]. O desconhecimento desse assunto termina fazendo com as que pessoas tomem decisões absurdas”, esclarece Marília.

Contágio acidental

A veterinária, no entanto, chama atenção para uma maneira na qual os animais podem contribuir acidentalmente com o contágio: por meio do contato inadequado das pessoas com seu pelo, sem a higienização das mãos. “Se uma pessoa doente, mesmo que em cômodo separado, tosse e pega nos pelos de um cachorro, a família dessa pessoa pode ser contaminada por acidente ao tocar no animal”, explica ela. Portanto, para assegurar uma interação segura, é indicado que o indivíduo lave bem as mãos antes e depois de tocar nesses animais, e que o contato direto deles com pessoas enfermas seja nulo - como indicam as orientações básicas de distanciamento social.

Passeio com seu pet

Essas são medidas também muito atreladas ao passeio com os pets; sua frequência deve ser reduzida ao máximo, pois nele o bichinho pode ter contato com outras pessoas que talvez estejam infectadas. “Se seu animal só faz necessidades fisiológicas fora de casa, caminhe no quarteirão onde mora, em um horário com menos gente possível. Os passeios devem sempre ser em ambiente aberto, onde não haja aglomeração de pessoas e nem de animais. Ao chegar em casa, lave bem o focinho, os membros anteriores e os membros posteriores do seu animal, assim como suas mãos também, e passe um pano com hipoclorito de sódio no piso da casa inteira”, orienta a professora.

Pet shops

Quanto à hora do banho, é bom, se possível, reduzir temporariamente o serviço das pet shops, que devem ser uma opção apenas para casos imprescindíveis . Busque cumprir com o isolamento social, banhando e escovando os bichinhos em casa. “Esse pode ser um momento para estreitar laços com seu animal”, declara Marília, salientando que a quarentena possibilita que os tutores fortaleçam o vínculo afetivo com seus animais, cuidando de sua higiene e saúde.

Abandono animal

Apesar da agradável companhia que os bichos de estimação oferecem, sobretudo nestes tempos de pandemia, é preocupante o crescente número de abandonos diante da nova ameaça - em alguns estados brasileiros, o aumento chega a 60%. Sobre o tema, a veterinária opina: “Com a popularidade dos pets, o amor aos animais tem se tornado um sentimento mais verdadeiro. Mas, ao mesmo tempo, o egoísmo em meio ao medo tem predominado em algumas pessoas, e às vezes elas realizam ações cruéis. É por isso que todos precisam ser informados e lembrados sempre de que abandono de animais é crime”. Ao concluir as dicas para a quarentena, Marília pede ainda que “se você pensa em tomar uma decisão assim [de abandono], por favor, repense muitas vezes, e não o faça”.