angle-left Professor da Unifor apresenta tese de doutorado sobre compulsão alimentar em evento internacional

Sex, 19 Outubro 2018 09:58

Professor da Unifor apresenta tese de doutorado sobre compulsão alimentar em evento internacional

O evento foi promovido pela Embaixada da França e aconteceu na Universidade de Brasília


Lucas Bloc é professor do curso de Psicologia da Universidade de Fortaleza. (Foto: Ares Soares).
Lucas Bloc é professor do curso de Psicologia da Universidade de Fortaleza. (Foto: Ares Soares).

O professor doutor Lucas Bloc, do curso de Psicologia da Universidade de Fortaleza (Unifor), apresentou sua tese de doutorado, relacionada à pesquisa fenomenológica sobre a hiperfagia (popularmente conhecida como compulsão alimentar) na obesidade, na jornada “Jovens Pesquisadores em Ciências Humanas e Sociais: olhares cruzados França-Brasil”. O evento, iniciativa da embaixada francesa no Brasil, aconteceu na Universidade de Brasília (UnB), em parceria com outras universidades brasileiras.


A jornada teve o objetivo de incentivar pesquisadores brasileiros e franceses das áreas de ciências humanas e sociais que estudem sobre temas envolvendo ambos os países. Segundo o professor Lucas Bloc, “a jornada é um evento importante porque traz uma nova geração de pesquisadores que estão pensando nessa relação e em como essa troca entre os dois países é importante”.


Seu trabalho concorreu com 200 outras pesquisas e foi um dos 24 selecionados para participar da jornada. Intitulado “Abordagem fenomenológica da experiência hiperfágica na obesidade: um estudo em contextos francês e brasileiro” (em tradução livre), consiste na análise comparativa entre pacientes obesos com hiperfagia do Brasil e da França. Os depoimentos foram obtidos em visitas a hospitais e ambientes como o Programa Interdisciplinar de Nutrição aos Transtornos Alimentares e Obesidade (Pronutra), ligado ao Núcleo de Atenção Médica Integrada (NAMI), da Unifor.


Na jornada, o professor da Unifor participou de mesa redonda onde expôs as ideias centrais de seu trabalho e os seus resultados. “Fico muito contente do meu trabalho ter sido aceito e de eu ter tido a possibilidade de falar sobre esse tema sobre o qual pesquisei por quatro anos”, afirma. Lucas ressalta, ainda, a importância do apoio da Universidade de Fortaleza durante todo o período em que estudou na França. “A Unifor teve um papel fundamental, ao me liberar para estudar fora mas mantendo meu vínculo com a instituição. Agora, retornei para retomar minhas atividades na Unifor”, conta o professor.


O professor é vinculado à instituição desde 2005, quando iniciou sua graduação. Lucas participa, desde 2007, do Laboratório de Psicopatologia e Clínica Humanista Fenomenológica (Apheto) e tornou-se professor da universidade em 2012. Dois anos depois, foi contemplado com uma bolsa para cursar um doutorado na Université Paris Diderot durante o período de 2014 à 2018, onde produziu a sua tese.