angle-left Roda de Conversa debate arte urbana e os impactos para a mobilidade

Roda de Conversa debate arte urbana e os impactos para a mobilidade

Fotografia da palestrante do evento, Fernanda de Façanha, jornalista graduada pela Universidade de Fortaleza, que em seu livro 'Ruas e Cores' estudou o grafite. Foto: Fernanda de Façanha.
Fotografia da palestrante do evento, Fernanda de Façanha, jornalista graduada pela Universidade de Fortaleza, que em seu livro 'Ruas e Cores' estudou o grafite. Foto: Fernanda de Façanha.

Vários olhares sobre urbanismo tático, arte urbana, mobilidade e segurança viária se unem para a Roda de Conversa: Arte Urbana e os Impactos para a Mobilidade, promovida pela Federação dos Transportes de Passageiros do Ceará, Piauí e Maranhão (FETRANS). O evento acontece no próximo dia 30 de outubro, no auditório do SEST SENAT Fortaleza, e convida a sociedade para trocar ideias sobre como podemos transformar nossas cidades em espaços mais agradáveis para se conviver e se deslocar. O debate é gratuito e as inscrições estão abertas por meio do link.

A discussão apresenta um dos principais desafios das cidades: como transformar espaços públicos de maneira que impactem positivamente na qualidade de vida das pessoas. Nesse sentido, o evento aborda como a promoção da mobilidade urbana nos grandes centros pode ser pensada de forma a beneficiar o coletivo, com ações ligadas diretamente à circulação de pessoas e também com atividades que melhorem e incentivem o bem estar social.   

Para participar do debate, participam da roda a diretora cultural da FETRANS, Aída Eskinazi; o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira; o diretor presidente do Instituto Iracema, Davi Gomes; o engenheiro de transportes da Secretaria de Serviços Públicos de Fortaleza, Renan Carioca; o secretário municipal de juventude, Julio Brizzi; o artista visual, Almeida Luz; a escritora Fernanda de Façanha, graduada em Jornalismo pela Universidade de Fortaleza, e a arquiteta e urbanista, membro da Iniciativa Bloomberg, Hannah Silva.

Os membros da mesa trazem para a discussão o exemplo de Fortaleza, onde várias são as iniciativas dos órgãos públicos e entidades associativas e privadas que promovem a mobilidade urbana sustentável, com contribuições diretas para o transporte coletivo. No ano de 2018, a capital cearense recebeu 108 km de corredores de ônibus exclusivos, que incluíram os terminais de ônibus reformados, além de um sistema de transporte integrado. Além disso, a cidade conta com intervenções visuais, iniciativas de artistas individualmente ou em grupos, e atividades que promovem a interação e ocupação dos diversos ambientes que se espalham pela cidade. 

Em Fortaleza, o Observatório de Segurança Viária (OSV), anunciado em 2018 pelo Prefeito Roberto Cláudio e pela Reitora da Universidade de Fortaleza, Fátima Veras, traz a parceria entre poder público e academia para aproximar representantes de diversos setores da sociedade civil para apresentação de melhores práticas e o engajamento no combate ao elevado número de acidentes de trânsito. Desde 2011, Fortaleza já conseguiu reduzir em 35% o número de mortes no trânsito em relação a 2017.

Essas práticas, que funcionam sobre o conceito de “Urbanismo tático”, colaboram para a recuperação dos espaços, tornando-os mais seguras, incentivando a economia local, fomentando a cultura urbana e estimulando hábitos mais saudáveis e ecológicos, como o de se locomover a pé ou de ônibus. O evento promete discutir essas questões e é aberto ao público, voltado para profissionais, gestores, transportadores e estudantes interessados em arte urbana, mobilidade e estudos da cidade, bem como a sociedade em geral.

Serviço

Roda de Conversa: Arte Urbana e os Impactos para a Mobilidade
Local:
Auditório do SEST SENAT Fortaleza (Rua Dona Leopoldina, 1050)
Data: 30 de novembro de 2019 (quarta-feira)
Horário: 8h
Inscrições gratuitas
Vagas limitadas