angle-left Seminário do curso de Ciência da Computação apresenta uma visão interdisciplinar sobre Big Data

Seminário do curso de Ciência da Computação apresenta uma visão interdisciplinar sobre Big Data

Organizadora do evento, a professora Liádina Camargo é coordenadora dos cursos de Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Unifor (Foto: Ares Soares)
Organizadora do evento, a professora Liádina Camargo é coordenadora dos cursos de Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Unifor (Foto: Ares Soares)

Do final da década de 60, quando surgiu a primeira conexão entre computadores, passando pela década de 90, quando surgiu a Rede Mundial de Computadores - World Wide Web (www), até os dias de hoje, mais de 10 bilhões de objetos estão conectados virtualmente.

Ao longo das últimas décadas, a quantidade de dados gerados tem crescido de forma exponencial. O surgimento da internet fez sairmos da era do terabyte para o petabyte, e a internet das coisas aumentou de forma abrupta a quantidade de dados gerados. Em 2015, entramos na era do zetabytes, e atualmente geramos mais de 2,5 quintilhões de bytes diariamente. 

A esta quantidade enorme de dados foi dado o nome de big data. Este termo surgiu em 1997 e seu uso foi utilizado para nomear essa quantidade cada vez mais crescente e não estruturadas de dados sendo gerados a cada segundo. Atualmente o big data é essencial nas relações econômicas e sociais e representou uma evolução nos sistemas de negócio e na ciência.

Dentro deste contexto, o curso de Ciência da Computação da Unifor promove, no dia 6 de maio, o Seminário BIG DATA: uma Visão Interdisciplinar. O evento, que acontece a partir das 18h no Auditório da Biblioteca, trará professores e pesquisadores a fim de debaterem sobre o fenômeno de pessoas e coisas digitalmente conectadas gerando dados e soluções crowdsourcing.

A participação é aberta aos alunos do CCT e demais interessados sobre o tema.

Programação

18h - Abertura  

  • Professores Liádina Camargo e Carlos Caminha 

18h30h às 19h15 - Como cientistas de dados podem ser exploradores espaciais? 

  • Palestrante: Erneson Alves de Oliveira (Unifor)
  • Resumo: A interdisciplinaridade da área de Ciências de Dados é notória e um dos fatores determinantes para o seu sucesso. Hoje, profissionais com esse perfil de conhecimento são cobiçados por instituições públicas e privadas, do mercado nacional e internacional. Aqui, apresentamos um estudo sobre bacias hidrográficas que utiliza modelagem computacional e dados reais de altura para a Terra, Lua e Marte. Nosso estudo sugere que a lei de Hack pode ter sua origem puramente nas linhas máximas e mínimas das paisagens.
  • Minicurrículo: Possui Bacharelado, Mestrado e Doutorado em Física pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Foi pesquisador de pós-doutorado no Departamento de Física da UFC e no Programa de Pós-graduação em Informática Aplicada (PPGIA) da Unifor. Atualmente, é professor do Mestrado Profissional em Ciências da Cidade (MPCC) da Unifor, pesquisador da Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (DPDI) da Unifor e pesquisador do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). 

19h30h às 20h15 - Visão Geral e Aplicações de Aprendizagem Profunda

  • Palestrante: Lívio Antônio Melo Freire (UFC)
  • Resumo: Abordagens baseadas em Aprendizagem de Máquina apresentam soluções computacionais promissoras para vários problemas do mundo real difíceis de serem resolvidos por meio da programação tradicional. Nesse contexto, destaca-se a Aprendizagem Profunda, que busca reproduzir o funcionamento dos neurônios no cérebro e aplica uma analogia semelhante para ajudar as máquinas a aprenderem pelo uso de Redes Neurais Artificiais. Nessa palestra, iremos apresentar, de maneira geral, a aplicação de modelos de Aprendizagem Profunda para resolver problemas computacionais, além de discutirmos as habilidades necessárias para quem deseja atuar nessa área.
  • Minicurrículo: Possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Estadual do Ceará (2007) e Mestrado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010). Atualmente, é estudante de Doutorado (MDCC/UFC) e professor efetivo da UFC (Campus de Crateús). 

20h30 às 21h15 - Como a opinião pública torna-se extrema?

  • Palestrante: Saulo Davi Soares e Reis (UFC)
  • Resumo: Investigamos a emergência de tendências extremistas na sociedade por meio de da análise e modelagem de pesquisas de opinião pública em um grupo amplo de tópicos de interesse como religião, economia e políticas públicas. Os dados apresentam um claro indicador do surgimento de posturas extremas na sociedade. Esse é uma relação não linear entre a fração de indivíduos apresentando um postura extrema e a fração de indivíduos que também inclui moderados. Propomos um modelo de ativação capaz de reproduzir qualitativamente os resultados empíricos para a dinâmica de opiniões cuja as regras de interação incluem a "teimosia" dos indivíduos. Em nosso modelo, o surgimento da não linearidade está associado a uma transição abrupta associada à uma avalanche de posturas extremas na sociedade, a qual pode representar um precursor da transição de uma sociedade moderada para o extremismo.
  • Minicurrículo: Professor do Departamento de Física da UFC. Atua principalmente na área de Mecânica Estatística e Física Computacional com principal interesse em Física de Sistemas Complexos. Sua pesquisa concentra-se nos temas de Teoria da Percolação e Dinâmica de Processos em Redes Complexas.

Serviço

Seminário BIG DATA: uma Visão Interdisciplinar 
Data: 6 de maio de 2019 (segunda-feira)
Horário: 18h às 21h
Local: Auditório da Biblioteca da Unifor