angle-left Unifor estabelece compromisso com responsabilidade social com Atividades de Extensão

Sex, 15 Março 2019 13:56

Unifor estabelece compromisso com responsabilidade social com Atividades de Extensão

Com o intuito de auxiliar a formação acadêmica do estudante de graduação e integrá-lo à sociedade através do atendimento clínico, a Unifor possui vários Projetos de Extensão. Foto: arquivo pessoal.
Com o intuito de auxiliar a formação acadêmica do estudante de graduação e integrá-lo à sociedade através do atendimento clínico, a Unifor possui vários Projetos de Extensão. Foto: arquivo pessoal.

Ao ingressar numa instituição de ensino superior, o aluno espera encontrar uma gama diversificada de possibilidades para explanar todo o conhecimento adquirido com o ensino e a pesquisa desenvolvidos dentro da universidade. É nesse sentido que o Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade de Fortaleza estabelece como compromisso auxiliar à Universidade no campo da Responsabilidade Social.

Este compromisso tem como objetivo estimular a Extensão Universitária nas diversas áreas da saúde, por meio de ações que causem impacto na sociedade e na comunidade. Para tanto, almeja desenvolver, fortalecer e consolidar práticas e atividades de Extensão que integrem a Universidade à comunidade, promovendo a articulação com a Vice Reitoria de Extensão.

Além disso, o CCS propõe um trabalho que comprometa estudantes e docentes na construção de estratégias e alternativas mediante a presença e interação acadêmica da Universidade com a comunidade. Para isso, oferece produtos de Extensão na área da saúde, atenção à saúde de pessoas com necessidades especiais, mulheres, crianças, idosos; atendimento clínico pelas especialidades em locais como o Núcleo de Atenção Médica Integrada (NAMI) e a clínica odontológica, entre outras atividades.

Muitas são as maneiras do aluno ingressar nos projetos/programas de extensão da Unifor e, de acordo com a assessora da extensão do CCS, professora Paula Jacques, “para ingressar em algum dos programas existentes, o aluno deve primeiramente procurar o professor do projeto/programa/liga e inscrever-se no processo de seleção. Como cada programa tem um estatuto próprio, fica a critério do mesmo aprovar o candidato por meio de prova, currículo ou entrevista, com base no número de vagas abertas naquele período. Para anunciar as vagas, geralmente são espalhados comunicados pelo Campus e no Unifor On-line com o intuito de atingir o maior número de alunos”.

De acordo com Heitor Carneiro dos Anjos, aluno do 7º semestre do curso de Educação Física da Unifor e participante da Liga Esportiva Interdisciplinar (LEI), as atividades de extensão são extremamente fundamentais para uma maior vivência na sociedade. “Já participei de algumas práticas, algumas foram mais educativas e outras mais práticas e, na minha opinião, todo aprendizado é válido. Durante o período que estamos na extensão podemos aplicar a prática junto a teoria e, por muitas vezes, falar sobre os benefícios da atividade física. Assim, vemos o quão a população é necessitada de informações básicas e quando colocamos em prática o aprendizado, podemos avaliar as pessoas, compreender que os conceitos teóricos e práticos podem ser facilmente aplicados de maneira satisfatória para todos”, disse Heitor.

Projetos/Programas de Extensão

Com o intuito de auxiliar a formação acadêmica do estudante de graduação e integrá-lo à sociedade através do atendimento clínico, a Unifor possui os Projetos de Extensão, em consonância com as orientações do Plano Nacional de Extensão Universitária.

Para contribuir com a sistematização do conhecimento e práticas curriculares com impacto na sociedade, o Projeto necessita envolver docentes ou pesquisadores e discentes dos cursos do CCS e pode ser desenvolvido junto a outros setores da sociedade. Outros fatores importantes são:

  • Deve ser coordenado por um docente na mesma área de conhecimento;
  • Ter prazo mínimo de duração de um ano;
  • Deve envolver participação efetiva da população externa;
  • Pode ser multidisciplinar;
  • Após dois anos de vigência, passa a ser denominado Programa de Extensão.

De acordo com a assessora de Extensão do CCS, professora Paula Jacques, após o mais recente levantamento foram verificados 40 Projetos/Programas de Extensão, dentre eles o Programa Despertar Saúde: Mente, corpo e movimento; perspectivas em torno de um envelhecimento ativo e o Programa de Atendimento Multidisciplinar ao Paciente Especial (PAMPE).

“Há algum tempo o Ministério da Educação (MEC) aconselha que as extensões sejam incluídas nas atividades curriculares e, no final de 2018, saiu a diretriz oficial que todas as instituições de ensino superior do país devem, até 2024, se adequar à normativa. Desse modo, as atividades de extensão passam a ser ainda mais reconhecidos e ganham local de destaque dentro do ensino, já que durante o período de estudo os alunos colocam em prática todo o aprendizado e executam atividades extracurriculares. A Unifor, pioneira em tudo que faz, já reconhecia a grandiosidade de todos os programas de extensão e, como forma de retribuição, os alunos, professores e funcionários sempre receberam amor e carinho dos pacientes por trazer de volta o seu bem-estar”, revelou Paula Jacques, ao falar sobre a vida de mão dupla dos programas de extensão.

Ações de Extensão do CCS compreendem o cadastro de:

  • Ligas acadêmicas dos cursos do CCS
  • Grupos de estudo/Pesquisa com ação eminentemente de extensão,
  • Projetos/Programas de Extensão
  • Cursos
  • Eventos

Programa de Responsabilidade Social Despertar Saúde: mente, corpo e movimento; perspectivas em torno de um envelhecimento ativo

Consiste em um programa que incentiva o aluno a desenvolver ações de prevenção, educação e promoção de saúde do público atendido, depositando uma visão de conhecimento da saúde como direito do cidadão, bem como a sua corresponsabilidade na condução do processo terapêutico, resultando em uma melhor qualidade de vida. Desenvolvido quinzenalmente por discentes do 9º semestre do curso de Fisioterapia da Unifor no módulo de estágio supervisionado ambulatorial em Fisioterapia sob coordenação da Prof.ª Leila Maria Machado Bezerra, tem o objetivo de incentivar a participação do paciente de forma ativa através da exposição de temas relacionados à atividade física, o uso de medicamentos, a alimentação saudável, o autocuidado, a corresponsabilidade diante do tratamento, confecção de artefatos de baixo custo para uso durante a realização do protocolo de exercícios adotados no dia a dia dos participantes, dentre outros, por meio de dinâmicas de grupo, rodas de conversa, oficina e exposições orais, sendo destacada a grande importância do paciente e usuário do serviço público de saúde, saber dos seus direitos e deveres como cidadão, a importância da equipe interdisciplinar no acompanhamento do indivíduo com diabetes e/ou hipertensão. As atividades são vinculadas a ações interdisciplinares com profissionais da área da saúde dentre elas Farmácia, Enfermagem, Psicologia, Nutrição, dentre outras.

Programa de Atendimento Multidisciplinar ao Paciente Especial (PAMPE)

O Programa PAMPE existe desde 2000 e é destinado a crianças portadoras de deficiência, sobretudo as do tipo neurológicas que são: Paralisia Cerebral, Síndrome de Down e Autismo. Síndromes e bebês normosistêmicos e com deficiência também são assistidos. Há pacientes de diferentes partes do estado. As doenças mais comuns na cavidade oral dos pacientes é a gengivite e a cárie. O trabalho é desenvolvido entre os pais que se mantém presente na clínica acompanhando todo o trabalho a ser desenvolvido no filho.

“Esse ano inscreveram-se 70 alunos, mas permaneceram um total de 25. Os alunos trabalham em tutoria, ou seja, alunos de semestres iniciais aprendem com alunos de semestres mais avançados. Assim, na clínica os alunos ficam distribuídos da seguinte maneira: um aluno de semestre avançado, um aluno de semestre intermediário e um aluno de semestre inicial. Observa-se dessa maneira que eles vivenciam uma prática rica em experiências que se transformam em aprendizados significativos. Em 2019.1 abrimos uma nova frente de trabalho com alunos de semestres iniciais que é a turma do Bem. Esses alunos ficarão responsáveis na parte de educação em saúde. Antes dos pacientes receberem tratamento os pais serão orientados e supervisionados quanto a escovação, dieta e outros assuntos pertinentes e direcionados as necessidades vigentes”, completou professora Grace Sampaio Teles da Rocha, responsável pelo PAMPE. 

Diretrizes da Extensão

O ministro da Educação, Rossieli Soares da Silva, homologou no dia 14 de dezembro a Resolução que estabelece as Diretrizes para as Políticas de Extensão da Educação Superior Brasileira. A normativa define conceitos, diretrizes e princípios para a Extensão em todo o sistema de Educação Superior do país (público, privado e comunitário), bem como estabelece parâmetros de avaliação, registro e planejamento das ações extensionistas. 

Passam a ser consideradas ações extensionistas aquelas que envolvam diretamente as comunidades externas às Instituições de Educação Superior (IES) e que estejam vinculadas à formação do estudante. A Extensão e suas novas diretrizes nacionais serão fundamentais para o fortalecimento do compromisso social das IES.

Serviço

Atividades de Extensão - Centro de Ciências da Saúde (CCS)
(85) 3477-3805 / http://www.unifor.br

Programa de Responsabilidade Social Despertar Saúde: mente, corpo e movimento; perspectivas em torno de um envelhecimento ativo
(85) 3477-3207 – Coordenação de Fisioterapia  (Prof.ª Leila Machado)