angle-left Big Band, Camerata e Coral da Unifor se unem em vídeo com mensagem de esperança

Ter, 12 Maio 2020 15:03

Big Band, Camerata e Coral da Unifor se unem em vídeo com mensagem de esperança

Grupos trabalharam em conjunto para produzir uma apresentação da música “Amanhã”, com o objetivo de trazer positividade em meio à pandemia do novo coronavírus.


Grupos de arte da Unifor se uniram virtualmente para apresentar um arranjo especial de “Amanhã”, canção de Guilherme Arantes, no intuito de trazer positividade no atual momento que o mundo vive. 
Grupos de arte da Unifor se uniram virtualmente para apresentar um arranjo especial de “Amanhã”, canção de Guilherme Arantes, no intuito de trazer positividade no atual momento que o mundo vive. 

Nestes tempos de pandemia, a música pode ser uma grande aliada ao acolher tristezas e esperanças humanas. É inegável a comunhão que ocorre quando ela é executada presencialmente, mas a tecnologia tem contribuído no compartilhamento dessa arte e de sua mensagem. Aproveitando-se das ferramentas digitais, o Coral Unifor, a Camerata Unifor e a Big Band Unifor se uniram virtualmente para apresentar um arranjo especial de “Amanhã”, canção de Guilherme Arantes, no intuito de trazer positividade no atual momento que o mundo vive. 

Os três grupos musicais da Universidade de Fortaleza, instituição de ensino da Fundação Edson Queiroz, se empenharam por cerca de duas semanas para produzir um vídeo no qual interpretam a música, que foi escolhida por sua letra inspiradora. Cada integrante gravou sua participação de casa; ao todo, foram 31 participantes do Coral (8 vozes de sopranos, 7 de contraltos, 8 de tenores e 8 de baixos), 8 da Big Band (instrumentos de sopro) e 4 da Camerata (instrumentos de corda).

À frente da parte musical do projeto, estiveram Luis Carlos Prata, maestro coordenador do Coral Unifor; Marcos Vinícius Cardoso, maestro coordenador da Camerata Unifor; Inácio Saldanha, um dos integrantes da Camerata; e Robson Lima, maestro coordenador da Big Band Unifor. Em conjunto, eles adaptaram “Amanhã” para que pudesse ser performada por todos os participantes. 

“Não houve nenhum ensaio, a coisa se deu toda à distância. Depois dos arranjos preparados, foi feita uma base em piano para que os músicos e os cantores pudessem se guiar. [...] Além disso, eles receberam uma partitura da música e, no caso do Coral, áudios-guia, para aprender e executar o que havia sido escrito pelos arranjadores”, explica Luis Carlos. De acordo com ele, o intenso processo se deu inteiramente via aplicativos de mensagens, e-mails, conferências online e reuniões virtuais que chegavam a acontecer, inclusive, durante a madrugada.  

Em relação ao desempenho dos participantes, o maestro não esconde a satisfação: “Preciso ressaltar a competência e a qualidade de todos os músicos e de todos os cantores dos grupos. Se essas características não existissem, a gente teria dificuldades muito maiores, diferentes das que a gente já teve, pois além da distância, teríamos que lidar com a questão da qualidade musical, que fez muita diferença. Estamos recebendo muitos elogios”, agradece. 

Sobre a mensagem do projeto, não há segredos para ele: “A gente espera, como diz no final da música e do vídeo, que o amanhã seja pleno, e que a gente possa sair disso com mais fortaleza, mais firmeza, mais humanidade. O vídeo traz uma mensagem infinita de otimismo, esperança e perspectivas novas”, finaliza Luis Carlos. 

Edição desafiadora

A etapa de edição do vídeo ficou a encargo de Gazzineu Marcus, que chegou a trabalhar com até 70 camadas de vídeos simultaneamente: “Já editei muitas coisas em que precisei sincronizar várias câmeras, mas não eram tantas assim, e geralmente eram todas gravadas no mesmo ambiente. Editar um arquivo com tantas gravações em lugares diferentes é algo particularmente trabalhoso e de muita paciência“. 

Gazzineu, que faz parte do time de pós-produção da TV Unifor, conta também que uma dificuldade natural foi a captação individual de cada som, em razão do conteúdo ter sido gerado em dispositivos diferentes e em condições diversas de ambiente. Para a edição do áudio, ele contou com o apoio de Inácio Saldanha. 

“O processo inteiro revelou-se um desafio. Juntar tantas pessoas virtualmente para executar uma peça musical nos mostrou que as dificuldades podem ser vencidas com muita colaboração, comunicação, paciência e trabalho em equipe. Como nós, milhares de pessoas ao redor do mundo estão aprendendo e praticando novas formas de trabalho e cooperação. Imagino que seja apenas uma das muitas lições a serem tiradas da pandemia”, compartilha o editor.

Confira aqui o resultado.