angle-left Estética e Cosmética: rigor e conhecimentos aliados do bem-estar

Seg, 24 Junho 2019 09:24

Estética e Cosmética: rigor e conhecimentos aliados do bem-estar

Graduação em Estética e Cosmética reúne saberes que vão além dos serviços comumente encontrados em salões de beleza


Na Unifor, desde os primeiros semestres o estudante é inseridos em vivências e práticas nos ambientes de trabalho (Foto: Ares Soares)
Na Unifor, desde os primeiros semestres o estudante é inseridos em vivências e práticas nos ambientes de trabalho (Foto: Ares Soares)

Amanda Nunes tem apenas 17 anos, mas já percebeu que a paixão pelo mundo da maquiagem vai além de um mero hobby. Viciada em vídeos de tutoriais da Internet, ela aprendeu, com a ajuda de influenciadores digitais, a transformar a própria face em arte. Estudante da 3ª série do Ensino Médio, ela acredita que a graduação em Estética e Cosmética da Unifor pode trazer a tão sonhada capacitação na área. 

Mas nem tudo são flores, pois a jovem ainda alimenta incertezas. “Uma das minhas principais dúvidas é saber se o meu gosto por maquiagem é o suficiente para mergulhar nos universos da Estética e da Cosmética”, pondera. Para auxiliar Amanda nesse processo de descoberta, conversamos com a coordenadora do Curso, professora Bárbara Karen Rodrigues

A pesquisadora confirma que o interesse por maquiagem pode ser um indicativo de sucesso na área, mas destaca que a graduação oferecida pela Unifor vai além. “Hoje o esteticista trabalha tanto na parte facial, corporal, terapia capilar, como também aprende sobre gestão e tratamentos realizados em spas. Há um leque de possibilidades vasto, pois podem atuar tanto em salões de beleza que fornecem serviços de estética como podem gerir serviços na área”, ressalta.

A grande verdade é que não faltam opções. Para além dos campos apontados pela docente, a pessoa que se forma em Estética e Cosmética também pode trabalhar junto a outros profissionais da área da saúde, como médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos. Seja qual for a escolha, uma coisa é certa: o profissional poderá aplicar a riqueza de conhecimento que é aprendida durante os três anos de curso da Unifor, uma formação que contempla três blocos

O início da graduação reúne conhecimentos comuns aos profissionais de saúde, ocasião em que o aluno é convidado a conhecer a fundo saberes de áreas como Anatomia, Histologia e Biologia. “Como profissionais de saúde, eles precisam entender como o corpo funciona para que possam tratar as disfunções que venham a surgir”, aponta Bárbara. 

Ainda no primeiro bloco, a estrutura curricular da Unifor ensina avaliações e técnicas de tratamento de disfunções, bem como recursos da eletroterapia  que associam diferentes terapias manuais. Também é aqui que o aluno aprende sobre cosmetologia e os distintos princípios ativos e mecanismos de atuação de produtos que agregam valor ao tratamento estético.

O segundo bloco do currículo, que contempla o terceiro e o quarto semestres, é formatado em conhecimentos que envolvem cuidados faciais e de terapia capilar. Aqui também surgem a cosmetologia, a eletroterapia e a avaliação, bem como terapias manuais com foco nas disfunções faciais, de couro cabeludo e haste. 

Já no terceiro e último bloco, o estudante vai integrar todos os saberes por meio de estágios e disciplinas aplicadas. Vale lembrar que todo esse percurso é permeado por disciplinas como primeiros socorros, psicologia do relacionamento humano, gestão e empreendedorismo e projetos integradores (desenvolvimento de pesquisas e estudos científicos).

Segundo a professora Bárbara, muitos chegam à Unifor acreditando que vão encontrar uma capacitação para serviços básicos de salão, como tinturas e alisamentos. Mas a professora salienta que a proposta é outra: “o nosso profissional não é desenvolvido para serviços de salão de beleza, mas para serviços de estética, que podem estar inseridos no leque de oferta em um salão, por exemplo”.

Outro detalhe interessante da formação executada na Unifor diz respeito às certificações intermediárias. Ao fim de cada bloco, o estudante recebe um certificado que comprova a sua preparação para atuação em determinado segmento, correspondente ao que foi aprendido. Trata-se de uma chance de já conquistar uma oportunidade de trabalho ainda durante a graduação. 

Ao fim do primeiro bloco, ele é certificado como “assistente técnico em estética corporal”. No segundo, como “assistente técnico em estética facial e capilar”. Ao final de três anos, recebe a certificação geral, o diploma de Esteticista e Cosmetólogo, por meio da colação de grau. 

Para estudantes como Amanda, que ainda estão em dúvida, a área de Estética e Cosmética reserva um mercado que não apresenta quedas, mas ascensão. Nos últimos anos, a busca por cuidar de si tem ganhado espaço até mesmo entre o público masculino. 

Bárbara destaca que esse é um campo de atuação que, além de know-how, vai exigir do profissional atenção ao perfil e aos desejos do cliente. “Ele precisa do conhecimento científico, do conhecimento técnico, mas também necessita compreender características da sociedade em que ele vai intervir, que tipo de trabalho eu preciso desenvolver para além do serviço estético e, assim, fidelizar o cliente”, conclui.