angle-left Legado de Antonio Dias está presente no campus da Unifor

Sex, 3 Agosto 2018 10:11

Legado de Antonio Dias está presente no campus da Unifor

Artista plástico paraibano faleceu na última quarta-feira (1º) aos 74 anos (Foto: Rogério Lima/BaladaIn)
Artista plástico paraibano faleceu na última quarta-feira (1º) aos 74 anos (Foto: Rogério Lima/BaladaIn)

Faleceu, no último dia 1º de julho, o artista plástico paraibano Antonio Dias. Ele tinha 74 anos e lutava contra um câncer de pulmão há sete. Em junho de 2017 havia sido diagnosticado com um tumor na cabeça. Antonio Dias estava internado em uma clínica no Rio de Janeiro.   

Natural de Campina Grande (PB), Antonio Dias mudou-se para o Rio de Janeiro aos 14 anos, trabalhando como desenhista e artista gráfico. Na década de 60 foi para a Europa estudar pintura e aos 21 ganhou o prêmio da Bienal de Paris. A partir de então, ganhou visibilidade internacional por suas criações, viajando para Milão, Sérvia e Nepal.

Ao decorrer de sua trajetória, Dias prezou pela originalidade, incorporando palavras e frases às obras, estudando também técnicas de produção de papel artesanal e para além, foi professor na Áustria, Alemanha e Holanda.

As produções do artista destacaram-se pelo seu diálogo político contra a ditadura militar e pela utilização de componentes experimentais, reforçando o abstrato e geométrico.

A Universidade de Fortaleza abriga seis obras do artista paraibano, duas dessas -  O Carrasco, o Laço, Eu e Você (1965) e Sem Título, (2001) - estão presentes na exposição Da Terra Brasilis à Aldeia Global, em cartaz no Espaço Cultural Unifor.

 

Sem Título, (2001)