angle-left Oficina de restauração reúne leitores na Bienal do Livro

Qua, 21 Agosto 2019 13:38

Oficina de restauração reúne leitores na Bienal do Livro

O evento aconteceu nesta segunda-feira, 19, no stand da Unifor. A oficina foi ministrada pelos restauradores dos acervos da Universidade.


A Oficina de Restauro e Conservação de Livros reuniu uma turma no stand da Unifor para discutir sobre formas de preservação de obras. Foto: Ares Soares.
A Oficina de Restauro e Conservação de Livros reuniu uma turma no stand da Unifor para discutir sobre formas de preservação de obras. Foto: Ares Soares.

A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará está agitando a programação cultural de Fortaleza. Durante o evento, a Universidade de Fortaleza tem promovido uma série de atividades para os amantes da literatura. Nesta segunda-feira, 19, a Oficina de Restauro e Conservação de Livros reuniu uma turma no stand da Unifor para discutir sobre formas de preservação de obras.

Os participantes receberam uma cartilha com 20 dicas de conservação, conheceram processos de restauração e os materiais que são utilizados. A oficina foi ministrada por Luiz Gerônimo Pereira e Francisco Gomes do Nascimento, os restauradores das obras da Biblioteca Central e dos Acervos Especiais da Unifor. Essa foi a segunda vez que a oficina sobre restauração foi ministrada, a primeira aconteceu no sábado, 17.

Maria Cecília Vieira, formada em Direito pela Unifor e aluna do Programa de Pós-Graduação em Direito, participou da oficina pela segunda vez. A conservação e restauração de livros sempre foi fascinante para Cecília, que acredita na área como uma possibilidade de futuro. “Eu achei incrível, até perguntei para eles como faço para me inscrever no curso de iniciação. É uma área que sempre me interessou, até para me inserir profissionalmente”, revela.

A oficina atraiu até visitantes que não são ávidos pela leitura. Maria Vitória Mesquita visitou a Bienal em busca de um livro que atraísse sua atenção e esteve presente no stand da Unifor, aproveitando os ensinamentos de Gerônimo e Gomes. “A gente aprende coisas que nem imaginava como aconteciam”, conta.

O minicurso ainda acontecerá nesta quarta-feira, 21. Os restauradores estarão no stand falando sobre conservação e respondendo as dúvidas dos participantes.

Restaurando cultura

Gerônimo e Gomes atuam na conservação dos acervos da Universidade. Os dois foram os responsáveis pela restauração da coleção do mecenas Ciccillo Matarazzo, primeiras obras a compor o Acervo Especial da Unifor.

A arte da restauração está presente na vida de Gerônimo há cerca 35 anos, a profissão está intrinsecamente ligada à sua história.  “Você dá vida à obras quase mortas para que a arte e a cultura continuem. Isso é maravilhoso”, afirma.

Gomes também tem uma forte ligação com os livros. Antes de atuar na Unifor, o restaurador  já trabalhava com encadernação. A restauração começou a fazer parte de sua vida quando trabalhou diretamente com o chanceler Airton Queiroz, conservando suas obras particulares. Há 32 anos como restaurador da Unifor, Gomes acredita que a conservação de livros, sejam com valor econômico ou sentimental, é importante para manter a cultura em uma era tão digital.