angle-left Pesquisadoras da Unifor da área de Direito são nomeadas embaixadoras nucleares

Sex, 8 Junho 2018 16:21

Pesquisadoras da Unifor da área de Direito são nomeadas embaixadoras nucleares

Alunas da Unifor, Mariana Zonari e Midred Barreto foram selecionadas pela Associação Brasileira de Energia Nuclear. (Foto: Ares Soares)
Alunas da Unifor, Mariana Zonari e Midred Barreto foram selecionadas pela Associação Brasileira de Energia Nuclear. (Foto: Ares Soares)

As pesquisadoras Mariana Zonari, bacharel e mestre em Direito pela Unifor, e Midred Barreto, aluna do curso de Direito da Unifor, tiveram seu projeto aprovado para o Programa Embaixadores Nucleares, iniciativa de aceitação pública da Associação Brasileira de Energia Nuclear (ABEN). Elas são integrantes do projeto de pesquisa “Energia Nuclear - Aspectos Legais e Geopolítica da Atualidade”, vinculado ao CNPq e coordenado pelo professor Martonio Mont’Alverne Barreto de Lima.

O objetivo do programa é aumentar o alcance das informações sobre a tecnologia nuclear e seus benefícios, a fim de educar o público, e assim expandir o número de pessoas que compreendam as vantagens do desenvolvimento do setor no país. 

Midred esclarece que existe ainda um grande estigma sobre o assunto. “No geral, associam energia nuclear com grandes tragédias, quase sempre de uma forma não positiva, uma vez que sua descoberta foi para uma arma de destruição. A população precisa descobrir as vantagens e os benefícios dessa energia”, destaca.  

Criado há sete anos, o grupo de pesquisa da Unifor vem realizando projetos isolados que buscam abordar o aspecto geopolítico da energia nuclear. Midred, por exemplo, produziu um trabalho de conscientização na mina de Itatiaia, em Santa Quitéria, Ceará. Com o objetivo de estudar a provável exploração da jazida, a pesquisa resultou na elaboração de um artigo que envolve argumentos técnicos e jurídicos sobre a atividade, dando posteriormente à população dados realísticos sobre a questão, entre eles a inexistência de risco da exploração do urânio naquela área e, consequentemente, de acidentes no local.  

Já a professora Mariana Zonari entrou para o grupo de pesquisa ainda na graduação e explica que o foco sempre foi exaltar a inadmissibilidade das armas nucleares. “Mas estas não podem embaraçar a aplicação da energia nuclear para fins pacíficos”, esclarece. 

Dessa forma, o programa busca também desmistificar a ideia de que a energia nuclear é usada unicamente para a fabricação de armamentos. “Quando falamos de energia nuclear podemos abordar os fins pacíficos e fins bélicos. Criou-se esse programa para disseminar a abordagem pacífica, buscando a conscientização da população”, complementa. 

Será elaborada ainda uma agenda de eventos acadêmicos e não acadêmicos, com participações em organizações, projetos, reunião atinentes ao tema, assim como, publicação e apresentação de artigos. No momento, o grupo também está em processo para a formação de uma Organização não Governamental (ONG) que irá promover o apoio à utilização pacífica da energia nuclear e luta contra as armas atômicas. 

Programa Embaixadores Nucleares

O Embaixadores Nucleares é um projeto nacional destinado a impulsionar o alcance das informações sobre a tecnologia nuclear e seus benefícios, a fim de  educar o público, bem como aumentar o número de pessoas que compreendam os benefícios do desenvolvimento do setor no país.