angle-left Rotina familiar durante isolamento social vira crônica visual

Qua, 17 Junho 2020 11:06

Rotina familiar durante isolamento social vira crônica visual

Produção cearense, dirigida por Léo Silva e produzida por Emilly Guilherme, foi contemplada pelo Edital Cultura Dendicasa da Secult


A obra é, ao mesmo tempo, um filme, um curta e uma crônica visual (Foto: divulgação)
A obra é, ao mesmo tempo, um filme, um curta e uma crônica visual (Foto: divulgação)

Março de 2020. As famílias estão em quarentena devido à pandemia do coronavírus (Covid-19). “Rotina familiar - Crônica visual” traz a rotina de uma família do Parque Santa Filomena, no Bairro Jangurussu, no sul da capital cearense. Dirigida por Léo Silva, fotógrafo, escritor e filmmaker, e produzida por Emilly Guilherme, bacharel em Cinema e Audiovisual pela Universidade de Fortaleza, a obra está disponível no portal Cultura Dendi Casa e no canal no Youtube do realizador.

Contemplada pelo Edital Cultura Dendicasa, da Secretaria de Cultura do Ceará (Secult) na categoria “Audiovisual”, “Rotina familiar - Crônica visual” submerge o público no barulho da rede que balança na sala, nos passos da avó que cozinha e trabalha e nas brincadeiras das crianças. A rotina desta família durante o período de isolamento cria uma crônica visual.

“A ideia surgiu durante a quarentena, nas primeiras semanas de março. Estavas a fotografar minha casa, e também a gravar pequenos takes. Durante esse processo, fiz uma edição simples e enviei para a Emilly. Ela comentou e começamos a pensar junto esse processo. Passei mais uma ou duas semanas filmando essa cena, essa rotina. E foi ‘massa’, porque resultou no filme final, que é essa rotina familiar que está no mundo”, diz Léo Silva sobre o processo.

Segundo o diretor, a obra é, ao mesmo tempo, um filme, um curta, uma crônica. “Traz uma movimentação de tempo e espaço dessa casa. Claro que ela nem sempre é assim, pois muitas das vezes todos estão em suas correrias. Foi necessário um certo momento de olharmos. Vermos ao redor e percebermos essa sintonia, essa pequena correria que, querendo ou não, está carregada de afeto. O nome fala tanto de algo diário, mas fala de algo que pode ser parecido ou igual para com os outros. Traz lembranças de algo da vida, de momentos ou de alguma saudade que eu sei que sentimos. Familiar” - relata em publicação no blog Léo Silva, utilizado para divulgar seus trabalhos.

Encontros

Léo e Emilly se conheceram durante o projeto itinerante “Cine Clube pela Democracia”, realizado pelo Cine Clube Comeram Minha Pipoca. Emilly rodava pela cidade de Fortaleza com exibições dos filmes “Cartuchos de Super Nintendo em Anéis de Saturno”, de Leon Reis, e “Peripatético”, de Jéssica Queiroz. Em duas das sessões, estreitaram laços. “Nós levamos esses filmes para a Sabiaguaba. O Léo levou um projetor de ônibus até lá para fazer funcionar a sessão. Ele também levou a gente para exibir na Biblioteca do Santa Filomena, biblioteca comunitária do bairro dele. Foi aí que eu conheci o Léo”, conta Emilly Guilherme.

Quando a quarentena começou no Ceará, Léo Silva passou a filmar a sua rotina familiar. Durante o processo de edição, o diretor passou a mostrar os vídeos capturados e conversar sobre a obra com a amiga. “Eu olhei e pensei: ‘esse filme tem um potencial, esse filme é diferente, que a comunidade fortalezense não está fazendo’. Eu vejo um brilhantismo e um pioneirismo, principalmente com essa situação. Uma quarentena mundial, uma quarentena em que os mais afetados são os moradores de periferia. Essa quarentena, para o artista, acorda partes do corpo e da visão que não eram usadas”, afirma a produtora.

Para Emilly Guilherme, “o Léo viu essas coisas que todos os dias estavam na casa dele, só que pela lente certa, tanto da câmera quanto do olhar. Ele soube transformar aquilo na ratificação do que é estar vivo para ele, que é continuar fazendo arte e continuar gravando a rotina familiar”. Os amigos conversaram durante dias sobre a narrativa, as imagens e os sons envolvidos. Decidiram, então, inscrever o material para o Edital Cultura Dendicasa.

Cultura Dendicasa

Criado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), o portal Cultura Dendicasa reúne conteúdos digitais selecionados por meio do “Edital Cultura Dendicasa: Arte de Casa para o Mundo” e notícias e agendas da programação virtual da Rede de Equipamentos do Estado do Ceará. Atualizado semanalmente, irá abrigar todos os 400 projetos artísticos e culturais apoiados pela Secult, entre espetáculos, áudios, exposições e publicações, dos mais diversos segmentos culturais e linguagens artísticas. 

Estude Cinema na Unifor

O mundo mudou e você também pode mudar. Conheça as novas possibilidades de estudar na Universidade de Fortaleza no próximo semestre e juntos estaremos preparados para o futuro. Aproveite as inscrições gratuitas*, o novo vestibular online e confira as demais vantagens para ingressar em uma das melhores Universidades do mundo aqui. Esperamos você!

*exceto Medicina

Bolsas e benefícios 

Já pensou em poder se dedicar com tranquilidade à sua formação profissional? Comprometida com o acesso à Educação Superior de excelência, a Unifor oferece bolsas e benefícios exclusivos para que nossos alunos possam planejar melhor o pagamento de seus estudos. Confira aqui mais informações.