Doe de Coração Um movimento pela doação de órgãos

Jovens vestindo a camisa da campanha Doe de Coração em um cenário de árvores

Artista plástico José Guedes reestiliza marca do Movimento Doe de Coração

Ele se diz muito feliz por participar da campanha de incentivo à doação de órgãos, idealizada há 16 anos pela Fundação Edson Queiroz

A Fundação Edson Queiroz, responsável pelo movimento Doe de Coração, que incentiva a doação de órgãos, divulgou nesta terça-feira a logo da edição de 2018. A tradicional marca, com o coração formando a palavra DOE, foi redesenhada pelo artista plástico cearense José Guedes, ganhando cor vibrante e figuras geométricas.

Uma das campanhas mais tradicionais da Fundação Edson Queiroz, a Doe de Coração chega à 16ª edição com uma marca de vitória decorrente das demais edições: o Ceará é o estado com a menor taxa de recusa de famílias de doadores do Nordeste. O fato é consequência do trabalho de profissionais da saúde, da constante divulgação da doação de órgãos e da conscientização da população.

Segundo José Guedes, a marca da campanha ganhou um verde vibrante, que remete à esperança de uma nova vida, e o coração ganhou formas geométricas em seu interior, dando-lhe perspectiva e profundidade. “As figuras geométricas na verdade são redes de conexão, destacando a importância da união de todos para fortalecer essa grande rede de solidariedade humana que é a doação de órgãos e que acaba sendo doação de vidas”, ressalta.

Com obras no Museu de Arte Moderna, de São Paulo, no Museu IVAM, na Espanha, e na coleção DAROS, de Zurique, José Guedes salienta que antes mesmo de receber o convite de redesenhar a logo da Doe de Coração já era um admirador e já havia vestido literalmente a camisa da iniciativa.

Para ele, a Doe de Coração é uma campanha de extrema importância: “Eu conheço várias pessoas que estão na fila para receber órgãos, então, quanto mais doações mais rapidamente essas pessoas serão beneficiadas. É aí que entra a Doe de Coração, porque muitos não sabem como ajudar e a Fundação Edson Queiroz faz um papel importantíssimo em levar esse conhecimento às pessoas”.

José Guedes ressalta ainda a alegria e satisfação em poder participar ativamente da edição da campanha deste ano. “É uma das campanhas de saúde mais importantes que conheço e tem que ser sempre fortalecida. Esta nobre causa deve estar sempre na mídia. Eu me sinto extremamente gratificado em poder dar minha pequena contribuição  a esse grande projeto. Estou superfeliz”, frisa.

A campanha

O tradicional Movimento Doe de Coração, idealizado pelo chanceler Airton Queiroz, falecido ano passado, ocorre desde 2003, sempre em setembro, mês já conhecido pelo estímulo à doação em vários estados do País, com o objetivo de encorajar as doações de órgãos no Ceará, por meio da sensibilização da sociedade. A edição de 2018 da Doe de Coração será lançada oficialmente pela presidente da Fundação Edson Queiroz, Lenise Queiroz Rocha, em solenidade que acontecerá dia 5 de setembro, no Teatro Celina Queiroz, no Campus da Unifor.

Contando com a parceria de hospitais públicos e particulares, o movimento envolve principalmente veiculação de anúncios em jornais, portais de notícias, rádios e emissoras de televisão, além de distribuição de fôlderes, cartazes e camisas para funcionários das empresas do Grupo Edson Queiroz, a fim de mobilizar o público interno para a campanha. O objetivo é alcançar e impactar o maior número de pessoas a fim de otimizar a doação de órgãos.

À semelhança da edição do ano passado, a campanha de 2018 trará depoimentos de transplantados que foram beneficiados pela doação de órgãos e tecidos. Para aumentar a interatividade, os vídeos da campanha também serão veiculados nas mídias sociais da Unifor e do Grupo Edson Queiroz. Além disso, o Movimento Doe de Coração terá mais uma vez como grande diferencial a realização de campanhas de mobilização em locais de grande fluxo de pessoas, como avenidas, praças e parques públicos, e em instituições parceiras do movimento, como hospitais públicos e privados. Na Unifor, alunos e colaboradores são estimulados durante todo o mês de setembro, por meio de ações internas, a se engajarem na doação de órgãos e tecidos.