angle-left Ligas acadêmicas do CCS apresentam projetos de extensão no Mundo Unifor

Sex, 18 Outubro 2019 15:38

Ligas acadêmicas do CCS apresentam projetos de extensão no Mundo Unifor

Alunos de diferentes cursos do Centro de Ciências da Saúde tiveram a oportunidade de mostrar seus projetos para outras ligas


Nesta edição, cada liga teve a oportunidade e o desafio de apresentar as atividades desenvolvidas pelo seu grupo, em apenas um minuto.
Nesta edição, cada liga teve a oportunidade e o desafio de apresentar as atividades desenvolvidas pelo seu grupo, em apenas um minuto.

Aconteceu nesta quinta-feira,17, a Mostra de Ligas Acadêmicas e Projetos de Extensão do Centro de Ciências da Saúde (CCS), da Universidade de Fortaleza. 

Adotando um formato inovador, nesta edição, cada liga teve a oportunidade e o desafio de apresentar as atividades desenvolvidas pelo seu grupo, em apenas um minuto. Com o principal objetivo de fazer com que os alunos reconheçam e se identifiquem com as ações de outras ligas, paralelas a sua, tentando melhorar as suas ações de extensão para a comunidade, o  evento contou com a participação de estudantes dos cursos de Medicina, Fisioterapia, Psicologia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia e Enfermagem da Universidade de Fortaleza. 

As atividades de extensão são de grande importância e bastante valorizadas pelos professores, pois são projetos totalmente partidos da iniciativa dos alunos, que passam a trabalhar questões como, autonomia e o poder de empreendimento sob o auxílio e orientação do mentor. 

Como ressalta Lia Brasil, diretora do Centro de Ciências da Saúde, “toda liga tem um professor orientador que dá apoio científico e metodológico, mas quem realmente são os protagonistas dos projetos são os alunos. A liga faz com que ele seja um gestor da sua formação, da sua carreira dentro da universidade, pois é o aluno que vai atrás de um campo de estágio para realizar suas ações sociais, assim como, organizam suas próprias atividades dentro de cada espaço de atuação. Com este evento, estamos querendo fazer com que o aluno se reconheça enquanto profissional da saúde e como ele pode melhorar o atendimento interdisciplinar para a comunidade”, afirma. 

Marília Castro, estudante do 2° semestre do Curso de Medicina, e membra da Liga Universitária de Palhaçoterapia e Humanização da Universidade de Fortaleza, considera importante este momento de poder compartilhar as atividades desenvolvidas pela sua liga para outros grupos, assim como, poder conhecer mais sobre outras ligas de extensão. Para ela, que atua em hospitais da cidade de Fortaleza, caracterizada de palhaçada realizando atividades voltadas para o público infantil, acredita no poder de transformação e de mudança no dia-a-dia das crianças que naquele momento se encontram debilitadas, tentando tornar aquela situação difícil em algo mais sutil, levando para elas alegria, risos e principalmente a esperança de que tudo possa ficar bem. 

"Nós, da Liga Universitária de Palhaçoterapia, fazemos as vivências com caracterização de palhaço para tratar a doença de uma forma mais leve, é como a gente vestisse a nossa máscara para estar cuidando da doença do outro, levando risos e alegria, porque são pessoas que estão em um estado debilitado e por ser uma situação difícil para elas, a gente tenta trazer um momento de alegria e esperança. A partir do momento que você faz uma visita no hospital, você esquece de tudo que está fora e se doa pro outro, você tira um momento para poder estar pela sua parte mais humana, se doando pelo o outro e tentando entender a dor, trabalhando a empatia," declara a estudante.