null Laboratório de Engenharia do Conhecimento atua com projetos na área de Inteligência Artificial

Qua, 17 Novembro 2021 15:28

Laboratório de Engenharia do Conhecimento atua com projetos na área de Inteligência Artificial

Espaço tem como objetivo desenvolver projetos e pesquisas nas áreas de Inteligência Artificial, Aprendizado de Máquina e Ciência de Dados


Criado em 2000, o Laboratório tem contribuído com iniciativas públicas e privadas e possibilita que alunos de graduação e pós-graduação participem de iniciativas inovadoras (Fotos: Ares Soares)
Criado em 2000, o Laboratório tem contribuído com iniciativas públicas e privadas e possibilita que alunos de graduação e pós-graduação participem de iniciativas inovadoras (Fotos: Ares Soares)

As áreas de Inteligência Artificial (IA) e Ciência de Dados estão cada vez mais presentes no mercado de trabalho, com iniciativas que podem agregar grande desenvolvimento tecnológico à sociedade. Para contribuir com esse crescimento, a Universidade de Fortaleza, da Fundação Edson Queiroz, conta com o Laboratório de Engenharia do Conhecimento (LEC).

Criado em 2000, o Laboratório é um espaço voltado ao desenvolvimento de projetos na área de inteligência artificial, representação do conhecimento e processamento de linguagem natural,  web semântica e mineração de dados.

O espaço, que está localizado na sala 2 do Bloco M, conta com a participação dos professores da Universidade de Fortaleza, Caio Ponte, Carlos Caminha, Vasco Furtado e Vládia Pinheiro, sendo todos responsáveis pelos projetos desenvolvidos no LEC. Além deles, alunos de graduação e pós-graduação da Unifor também colaboram para a prática das propostas.

Caio Ponte, professor e doutorando em informática Aplicada, comenta sobre os trabalhos realizados no laboratório. “No LEC, existem algumas áreas que estamos nos especializando, dentro do escopo de Inteligência Artificial e Ciência de Dados. Pesquisas voltadas para mobilidade urbana é uma área que contribuímos bastante. Por exemplo, a partir da parceria da Universidade de Fortaleza e a Prefeitura de Fortaleza, conseguimos realizar muitos trabalhos relacionados ao transporte público na Cidade”, diz o docente.


O doutorando e professor Caio Ponte ressalta os trabalhos do LEC relacionados ao transporte público

Além disso, ele cita outra área na qual o LEC tem atuado, sendo proposto na área de Inteligência Artificial. “Outro exemplo de projeto que já realizamos muito, foi relacionado à área de varejo, mais precisamente supermercados. Aplicamos técnicas de IA para ajudar a resolver alguns problemas nessa área, como: previsão de vendas futuras, regras de associação de produtos, agrupamentos de produtos etc.”, explica Caio Ponte.

Diferenciais e crescimento profissional

Segundo Caio, a relevância do Laboratório de Engenharia do Conhecimento se deve à participação dos corpos docente e discente, ambos empenhados e com grande conhecimento na área de Inteligência Artificial.

“O diferencial do laboratório eu acredito que está no corpo docente e discente, com o conhecimento técnico de IA, juntamente com o conhecimento de colaboradores das diversas áreas do saber que nos auxiliam nos projetos, os membros do LEC se tornam pessoas capazes de resolver problemas interdisciplinares”, afirma o professor de Informática Aplicada.
 
 Agora atuando como professor, Caio explica que participa do LEC desde quando ainda era aluno. O professor revela que atuar no Laboratório fez grande diferença para o seu crescimento profissional. “Estou no laboratório desde a minha graduação, e atualmente estou no doutorado, então, particularmente, acredito que o LEC e os professores membros do Laboratório transformaram positivamente a minha carreira profissional. Em um contexto geral, o LEC, através do desenvolvimento de projetos, contribui tanto para poder público e sociedade, como para a esfera privada, seja através de economia de recursos, automatização de tarefas etc.”, destaca Caio.

O laboratório tem trazido diferenciais para a trajetória do estudante e bolsista Daniel Carvalho

Daniel Dantas Rothéia Carvalho, estudante do segundo semestre do mestrado em Informática Aplicada da Unifor e bolsista do LEC, comenta sobre a sua trajetória e crescimento dentro do laboratório. “Estou no LEC há mais de 3 anos e a experiência tem sido sempre muito boa, as pessoas lá de dentro são agradáveis. Os horários são bem flexíveis e cada projeto tem um desafio diferente. Este último tem contribuído muito pro meu crescimento profissional, aprendo novas tecnologias, e aprofundo o meu conhecimento em técnicas de aprendizado de máquina”, afirma Daniel Dantas.

Para mais informações: caminha@unifor.br  

News Navigation Portlet está temporariamente indisponível.