Espetáculos

A diretora musical, compositora, pianista, cantora e arranjadora Delia Fischer sobe ao palco do Teatro Celina Queiroz no dia 19 de maio, às 20h. A iniciativa faz parte do projeto Recitais de Piano, da Fundação Edson Queiroz, que tem o objetivo de realizar concertos com artistas internacionais, nacionais e locais, bem como apresentar a apreciadores de concertos novos e consagrados talentos do piano no estado. 

Delia Fischer trará a Fortaleza um show bastante aberto e eclético, celebrando os prêmios recebidos no 16º Independent Music Awards 2018, no Lincoln Center, em Nova Iorque, nas categorias Melhor Canção Latina e Vox Pop, com o single “Mercado”, escrita por Thiago Picchi. Opúblico também vai poder conferir em primeira mão temas de seu próximo álbum, de “Ela Furou”, parceria com Camila Costa, à autoral “Samba Mínimo”, além de temas selecionados de seus trabalhos anteriores. 

Carreira profissional

A carreira profissional de Delia Fischer teve início no grupo ‘Duo Fenix’, formado por ela e Claudio Dauelsberg. O projeto rendeu dois álbuns gravados com grande repercussão no Brasil e exterior. A carreira solo, iniciada em 1999, foi marcada pelo álbum ‘Antonio’ sob o importante selo alemão ‘Carmo/ECM Records’, de Egberto Gismonti. Nesse período, atuou e gravou com grandes nomes nacionais e internacionais, como Toninha Horta, Ed Motta, Nivaldo Ornelas, Nico Assumpção, Bob Baldwin (EUA) e Thiago de Mello (EUA). 

Os anos 2005 e 2006 foram marcados por sua atuação na Escandinávia, acompanhando duas turnês de lançamentos: ‘Hotel Vermont’, da cantora sueca Lisa Nilsson, em shows por toda a Dinamarca, e também no CD ‘Casa da Praia’, do grupo ‘Avenida Atlântica’, onde Delia participou como cantora e compositora ao lado de Maria Petersen, e que lhes rendeu apresentação no renomado ‘Copenhagen Jazz Festival’.

Em 2007, foi convidada para fazer as orquestrações de espetáculos, como ‘7 - O Musical’, de Ed Motta, Claudio Botelho e Charles Möeller. Já em 2009, foi agraciada com o Prêmio Shell, na categoria música pelos arranjos ao lado de Jules Vandstadt, em teatro, com o espetáculo ‘Beatles num Céu de DIamantes’, de Claudio Botelho e Charles Möeller. Em 2010, assinou a direção musical do espetáculo ‘Era no Tempo do Rei’, com composições de Carlos Lyra e Aldir Blanc e direção de João Fonseca. Em 2013 e 2014, veio a consagração como diretora musical de grandes espetáculos, com ‘Elis, A Musical’ e ‘Chacrinha, O Musical’. 

Além de inúmeras parcerias de sucesso e discos lançados, Delia também integrou a banda do projeto Ensaio de Cores, da cantora Ana Carolina. De 2013 a 2015, recebeu oito prêmios e três indicações como diretora musical, arranjadora e melhor música em prêmios nacionais como o ‘Prêmio Shell de Teatro’, ‘Prêmio Cesgranrio’ e ‘Prêmio Bibi Ferreira’ por sua relevante atuação nos espetáculos ‘Elis - A Musical’, ‘Beatles num céu de diamantes’ e ‘Milton Nascimento – Nada será como antes’, entre outros grandes trabalhos. 

Em 2017, em parceria com o compositor Ronaldo Bastos, Delia fez ‘Tempo de Amar’, canção composta sobre poema de Carlos Drummond de Andrade, que obteve sucesso como tema da novela homônima da Rede Globo, transmitida às 18h. A canção foi gravada na voz imponente de Milton Nascimento. Já em 2018, foi convidada e realizou arranjos para sucessos de Ivan Lins para o show ‘Simone canta Ivan Lins’, que percorre as principais capitais brasileiras desde março em que os dois grandes artistas revisitam o repertório do compositor. 

Sobre o projeto

O projeto Recitais de Piano – Teatro Celina Queiroz, da Fundação Edson Queiroz, apresenta pianistas renomados internacionais, nacionais e locais utilizando como instrumento o piano Steinway & Sons da Universidade de Fortaleza. As apresentações destinam-se a apreciadores de música clássica e público em geral, com o objetivo de formar plateia e abrir o campus para novos e consagrados pianistas.

O Teatro Celina Queiroz recebe dias 13 e 14 de janeiro de 2018 o espetáculo “Os Mosqueteiros”, a recriação teatral baseada na obra clássica Os três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas. A peça será encenada nos dois dias às 17h.

A montagem traz a história de D'Artgnan, um jovem espadachim que sonhava seguir os passos do pai e tornar-se um Mosqueteiro. Porém, em sua chegada a Paris, não deu muita sorte. Envolveu-se em confusão e desafiou para duelar três guerreiros: Athos, Porthos e Aramis, Os Três Mosqueteiros.

Era um grupo corajoso e que tinha como líder Madame Treville, mulher forte e determinada que conduzia com afinco e esmero os fiéis Mosqueteiros.

Do outro lado, havia o Cardeal Richelieu, que por ganância tramava junto a Lady Clark a derrocada do Rei – um jovem Rei, inexperiente e que se aconselhava com o infiel Cardeal. Nossos heróis passarão por muitos caminhos e aventuras até que D'Artagnan, finalmente, alcance seu sonho de tornar-se um Mosqueteiro.

No centro de tudo, o ideal de companheirismo Um por Todos e Todos por Um!

 

Ficha Técnica

Texto: Alexandre Dumas

Adaptação: Eurico Mayer

Direção e Produção: Hertenha Glauce

Figurinos e adereços: Yuri Yamamoto

Cenografia: Hertenha Glauce

Artes da Projeção: Sirelle Boyadjian

Execução de cenografia: Pedro Silva

Execução de figurinos e adereços: Cássia Soulier, Eliáurea e Lúcia Costa

Maquiagem: Nara Martins

Iluminação: Luís Biano

Músicas: Aretha Karen e Eurico Mayer

Arranjos, gravação, masterização e mixagem: Anfrísio Rocha

Trilha Sonora Incidental: O Grupo

 

Elenco:

Alexsandro de Abreu: D'artagnan

Ivan Lourinho: Athos

Bruno Teixeira: Porthos

Lena Iorio: Aramis

Anderson Barreto: Cardeal Richelieu

Annalies Borges: Lady Clark e Guarda

Bruno Ponte: Rei, Guarda e Capanga

Nara Martins: Rainha, Guarda e Capanga

Samanta Sanford: Madame Treville e Guarda

Lara Lobo: Constance e Guarda

Fotos: Diretoria de Marketing Unifor (Ares Soares)

Operação de Áudio E Projeção: Jessé Leão

Operação de Luz: Eurico Mayer

Auxiliar de Palco: Daniel Franco

Realização: Universidade de Fortaleza, da Fundação Edson Queiroz

Vice-Reitoria de Extensão e Comunidade universitária: Randal Pompeu

Divisão de Arte, Cultura e Eventos: Thiago Braga

Grupo Mirante de Teatro Unifor: Hertenha Glauce

 

Serviço

Espetáculo: Os Mosqueteiros

Datas: 13 e 14 de janeiro de 2018 | Sessões: às 17h

Local: Teatro Celina Queiroz

Um aviador perdido no deserto encontra um menino de outro planeta. O menino e suas sábias palavras, assim como seu amor pela flor que deixou em seu pequeno planeta, ficaram eternizados no livro ‘Le Petit Prince’ (O Pequeno Príncipe) de Antoine de Saint-Exupéry, publicado em 1943, na França. Depois de 75 anos, o livro que encantou leitores pelo mundo todo se torna domínio público voltando com toda a força para os corações de quem já conhece e trazendo novos olhares dessa apaixonante história para as novas gerações.

A história do "O Pequeno Príncipe" retorna aos palcos do Teatro Celina Queiroz em nova nos dias 27 e 28 de janeiro de 2018 com o Grupo Mirante de Teatro. O espetáculo já foi agraciado com dois prêmios: o Troféu Carlos Câmara e o Prêmio Ceará Encena, ambos na categoria de Melhor Espetáculo Infantil.

Sobre a história

O espetáculo conta com toda a poeticidade e magia que envolvem a história do principezinho. O público poderá ouvir sobre os planetas que ele visitou em busca de sabedoria, vindo parar na Terra, onde logo conheceu a maliciosa serpente e em seguida a cativante raposa, com quem ele aprendeu o verdadeiro sentido da amizade e sua lição mais importante: “só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”.

A importância do afeto e do carinho para quem está perto e a amizade verdadeira mesmo quando se está longe, o cuidado, a gentileza, e a busca do espírito infantil nos adultos, esses e outros ensinamentos que permeiam o imaginário do público estarão presentes com uma estética de encher os olhos e músicas originais, escritas especialmente para complementar a beleza desse famoso clássico. Crianças e “pessoas grandes” vão se apaixonar e reapaixonar por toda sensibilidade e encantamento de ‘O Pequeno Príncipe’.

 

Elenco

Pequeno Príncipe: Eurico Mayer

Aviador: Ivan Lourinho

Flor: Monera Sampaio

Serpente: Annalies Borges

Raposa: Samanta Sanford

Rei e Acendedor de Lampiões: Bruno Teixeira

Homem de Negócios: Alexsandro de Abreu e Lena Iório

Geógrafo: Nara Martins

 

Ficha Técnica

Texto: Antoine De Saint-Exupéry

Adaptação: Aldo Marcozzi

Direção e Produção: Hertenha Glauce

Músicas e Trilha Sonora: Aretha Karen

pequeno-principe-1Músicos: Aretha Karen e Bruno Teixeira

Figurinos e Adereços: Yuri Yamamoto

Cenografia: Flora Paim e Ivana Amorim

Iluminação: Luís Biano

Fotos: Diretoria de Marketing (Ares Fernandes Soares)

Execução de Figurinos: Marina Pereira e Fernanda

Execução de Adereços: Daniele Morais

Operação de Áudio: Daniel Franco e Jessé Leão

Contra-Regragem: Francisco Everson Gomes Pereira e Lucas Carvalho Castro

Cobertura Fotográfica de Ensaios: Lena Iório

Realização: Fundação Edson Queiroz - Universidade de Fortaleza

Vice-Reitoria de Extensão – Randal Martins Pompeu

Divisão de Arte, Cultura e Eventos – Thiago Braga

Grupo Mirante de Teatro Unifor – Hertenha Glauce

 

Serviço

O Pequeno Príncipe

Dias: 27 e 28 de janeiro de 2018 | Sessões: sábado e domingo às 17h

Local: Teatro Celina Queiroz

 

A Unifor oferece ao público cearense mais uma opção de lazer nas férias. O espetáculo ""As aventuras de Dom Quixote" estará em cartaz no Teatro Celina Queiroz, nos dias 20 e 21 de janeiro de 2018.

"As aventuras de Dom Quixote" é uma recriação teatral baseada na obra literária "O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha", de Miguel de Cervantes.

Os mais de 400 anos que separam a primeira edição do livro, em 1605, da criação deste musical, que em nada diminuem a crítica, as reflexões, a comédia e as peripécias presentes nesta que é uma das obras mais influentes da literatura mundial.

O espetáculo apresenta a história de um homem, Alonso Quijano, já de meia idade, vivendo na pacata aldeia de La Mancha, que, envolvido de tal maneira com a leitura de romances de cavalaria, imagina-se predestinado a tornar-se um cavaleiro andante.

Para desespero de sua sobrinha e dos amigos, Alonso sai de cena e quem assume o protagonismo dessa história é o nobre, corajoso e leal cavaleiro Dom Quixote de La Mancha, ombreado por um vizinho, tornado seu fiel escudeiro, Sancho Pança.

O musical do Grupo Mirante de Teatro resume as mais de 1.200 páginas da obra original num enredo que valoriza a ação, o movimento e as mais divertidas aventuras vividas pela dupla: o exército de carneiros, os moinhos de vento, o elmo de Mambrino, os monges feiticeiros, tudo em meio às fartas declarações de amor de Dom Quixote à sua formosa donzela Dulcineia del Toboso.

 

Ficha Técnica

Texto original: Miguel De Cervantes

Adaptação Textual e Letras: Fernando Leão

Músicas, Arranjos e Direção Musical: Rodrigo Cardozo

Arranjos e Coordenação de Músicos: Marcus Vinícius Cardozo

Direção Artística e Produção: Hertenha Glauce

Preparação Vocal: Carlos Prata

Figurinos, Adereços e Cenografia: Yuri Yamamoto

Execução de Cenografia: Fernando Casari

Execução de Figurinos: Cássia Soulier, Eliáurea e Lúcia Costa

Execução do Figurino/Dom Quixote: Dayvdson Freitas

Execução de Chapéus: Fernanda Santos

Maquiagem e Assistência de Produção: Nara Martins

Iluminação: Luís Biano

Músicos: Rodrigo Cardozo, Marcus Vinícius Cardozo, George Lucas, Awa Blayne, Delane Araújo, Natália Bezerra, Cleylton Gomes e Sâmela Rízia

Fotos: Ares Soares/Unifor

Operação de Áudio: Jessé Leão e Daniel Franco

Operação de Luz: Samanta Sanford

 

Elenco

Anderson Barreto: Dom Quixote

Eurico Mayer: Sancho Pança

Aretha Karen: Sobrinha, Garota Da Hospedaria 1, Mercador 1, Frade 1, Vulto E Bacharel

Monera Sampaio: Duquesa, Garota Da Hospedaria 2, Mercador 2 E Frade 2

Ivan Lourinho: Padre, Hospedeiro, Mercador 3, Barbeiro E Duque

 

Serviço

As Aventuras de Dom Quixote

Dias: 20 e 21 de janeiro de 2018 | Sessões: sábado e domingo às 17h

Local: Teatro Celina Queiroz

 

Nos dias 17, 18 e 19 de novembro, o Teatro Celina Queiroz será palco de homenagem ao compositor polonês-francês Chopin. Com direção do consagrado José Possi Neto, a atriz Nathalia Timberg interpreta no teatro uma personagem masculina ao lado de uma das maiores pianistas brasileiras: Clara Sverner. A apresentação faz parte do projeto Teatro Celina Grandes Espetáculos, da Fundação Edson Queiroz, com apoio do Ministério da Cultura.

“Chopin ou o Tormento do Ideal” é um espetáculo delicadamente romântico consagrado a Chopin, que associa música e poesia. A montagem foi concebida e roteirizada originalmente por Philippe Estesse e teve sua estreia nos primeiros meses de 1987, no Teatro Gaiety- Montparnasse, em Paris. O pianista Erik Berchot, vencedor do prêmio Frédéric Chopin de Varsóvia (1980), uniu seus talentos aos do ator e autor Philippe Etesse para compor o belo espetáculo. A montagem que será apresentada em Fortaleza é inédita no Brasil.

Partindo de recortes textuais da vida de Chopin, cartas de George Sand entrelaçadas com declarações e poemas de Musset, Liszt, Baudelaire, Gérard de Nerval e Saint-Pol-Roux, o espetáculo ilumina, neste encontro de música e palavras, vinte anos da vida e da obra do compositor, criando uma possível subjetividade acerca de sua biografia com a objetividade e a poética do seu contexto histórico. Texto e música marcam os acontecimentos e apresentam uma personagem dividida entre um cotidiano vivido, às vezes, dolorosamente e um ideal inatingível.

 

Ficha técnica

Concepção: Philippe Etesse

Tradução: Nathalia Timberg

Direção: José Possi Neto

Elenco: Nathalia Timberg

Piano ao vivo: Clara Sverner

Cenografia: Chris Aizner

Desenho de luz: Wagner Freire

Figurinos: Miko Hashimoto

Videografismo e projeções: Alexandre Gonzales Direção de produção: Danielle Cabral e Ricardo Grasson

Produção executiva: Jessica Rodrigues e Victória Martinez

Coordenação de projetos: Contorno Produções e DCARTE

Realização: DCARTE e Gelatina Cultural

Assistente de Direção: Renato Forner

Fotos divulgação: Edson Kumasaka.

 

Serviço
Chopin ou o Tormento do Ideal
Datas: 17, 18 e 19 de novembro de 2017 | sexta e sábado, às 21h; domingo, às 19h
Local: Teatro Celina Queiroz 
Classificação indicativa: 14 anos
Duração: 70 minutos
Projeto Grandes Espetáculos

Para Tão Longo Amor conta a história da relação de um homem maduro – Fernando, um grande editor - e Raquel, uma jovem poetiza e dos seus limites (quase ilimitados) de uma paixão. A peça mescla passagens do passado e do presente sempre permeada pelo universo da poesia e da literatura.

Em poucas palavras: Fernando ama Raquel que ama quem a rejeita e se empenha diligentemente na sua própria destruição. Mas até quando um homem pode amar, suportar, conceder, se humilhar para não perder a mulher amada, mesmo que ela seu oposto e se degrade diante dos seus olhos? Em meio à turbulência, a poesia pontua essa história de amor e compaixão.

Com texto de Maria Adelaide Amaral, uma das mais conceituadas escritoras do nosso país, o espetáculo conta com a direção da premiada Yara de Novaes e, no elenco, com o talento de dois grandes atores brasileiros: Regiane Alves e Leopoldo Pacheco, reconhecidos pela crítica e público, ganhadores de diversos prêmios por trabalhos realizados na TV, cinema e teatro.

A união desses talentos no mesmo projeto é a certeza de um espetáculo primoroso, de grande qualidade artística. A história de amor emocionante abre espaço para risos, lágrimas, reflexão, surpresas, e toca o público pela capacidade de identificação.

 

Ficha Técnica

Texto - Maria Adelaide Amaral

Direção - Yara de Novaes e Carlos Gradim

Elenco - Regiane Alves e Leopoldo Pacheco

Cenário - André Cortez

Iluminação - Aurélio de Simoni

Figurinos e Visagismo - Leopoldo Pacheco

Trilha Sonora - Dr. Morris

Fotografia e programação visual - Pino Gomes

Direção de Produção - Lúcia Regina de Souza

Produção Local - Mário Alves (Procult)

 

Serviço
Para Tão Longo Amor
Dias: 30 de setembro e 1º de outubro de 2016 | Sexta, às 21h; e sábado, às 19h e às 21h
Local: Teatro Celina Queiroz
Classificação indicativa: 14 anos
Projeto Grandes Espetáculos

 

A peça conta a história de Claudio, (Mateus Solano) um homem super conectado que armazena toda a sua vida em computadores, redes sociais e nuvens. Debruçado sobre um projeto de criar um sistema único para armazenamento de todos os dados de uma pessoa, vê seu sonho ir água abaixo quando deixa cair um café em seu equipamento, que sofre uma pane e apaga tudo. Ele então torna-se um homem sem passado, já que não se lembra de nada, pois toda sua memória era virtual. A partir daí, Claudio inicia uma saga em busca da memória perdida, recorrendo a vários personagens de sua vida (onze, ao todo, vividos por Miguel Thiré) para reconstituir sua história.

“Os atores se complementam, como bufões da atualidade, e garantem a qualidade do espetáculo com suas inteligentes interpretações. (…) O diretor Marcos Caruso imprime dinâmica às cenas, capaz de manter o ritmo em velocidade de cruzeiro, a salvo de qualquer turbulência ou ameaça de queda nos dois atos.” (Macksen Luiz, O Globo) 

 

FICHA TÉCNICA

Idealização: Carlos Grun, Mateus Solano e Miguel Thiré

Texto: Daniela Ocampo

Direção: Marcos Caruso

Elenco e personagens: Mateus Solano: Claudio / Miguel Thiré: Paulista, o amigo técnico / Solange, a mãe / Amanda, a namorada / Álamo, o amigo maconheiro / o Empresário / Suzana Souza, a apresentadora de TV / o Barman / a Mulher do Bar / o Deputado / o Menino / Inocêncio, o velho (personagens por ordem de entrada em cena).

Figurinos: Sol Azulay

Desenho de Luz: Felipe Lourenço

Direção Musical e Trilha Sonora: Lincoln Vargas

Preparação Corporal: Arlindo Teixeira

Fotos: Sergio Baia e Vitor Zorzal

Design Gráfico: Raquel Alvarenga

Produção Nacional: Carlos Grun - Bem Legal

Produção Local: Mário Alves - Procult

 

SERVIÇO
Selfie
Dias: 19 e 20 de dezembro de 2015 | Sessões: sábado, 21h e domingo, 19h e 21h (sessão extra)
Local: Teatro Celina Queiroz
Classificação indicativa: 14 anos
Projeto Grandes Espetáculos

Um jovem casal, Greg e Ginny, vivem juntos. Greg está desconfiado que ele não é o único homem na vida de Ginny. Intrigado com uma viagem de Ginny para visitar “seus pais” no interior, ele decide segui-la. O fato é que Ginny está indo visitar seu amante, um homem bem mais velho, para dar um fim em seu relacionamento secreto.

Greg a segue até a casa de seu amante, Philip, e de sua esposa, Sheila, e acaba confundindo-os com os pais de Ginny o que gera uma situação de extrema comicidade, com desdobramentos imprevisíveis.

“...Uma série de impagáveis mal-entendidos, engenhosamente alinhavados pelo autor, e ciente da qualidade do texto, a direção não inventa: prefere investir na dinâmica entre os atores, extraindo boas risadas...” Veja Rio, Rafael Teixeira.

 

FICHA TÉCNICA

Texto: Alan Ayckbourn

Tradução: Alexandre Tenório

Direção: Ary Coslov e Edson Fieschi

Elenco: Vera Fischer, Tato Gabus Mendes, Michel Blois e Anna Sophia Folch

Direção de Produção: Luciano Borges

Cenário: Marcos Flaksman

Figurino: Marília Carneiro e Lydia Quintaes

Iluminação: Maneco Quinderé

Trilha sonora: Ary Coslov

Projeto gráfico: Patrick Fiuza

Assessoria de imprensa: Liège Monteiro e Luiz Fernando Coutinho

Produção nacional: Borges & Fieschi Produções Culturais

Produção local: Mário Alves – ProcultRelaesAparentes4

Realização: Vice-Reitoria de Extensão e Comunidade Universitária – Unifor

 

SERVIÇO
Relações Aparentes
Dias: 2, 3 e 4 de outubro de 2015 | Sessões: sexta, 21h; sábado, 19h e 21h; e domingo, 19h
Local: Teatro Celina Queiroz
Classificação indicativa: 10 anos
Projeto Grandes Espetáculos