angle-left Carreira de Cinema e Audiovisual: vasto espaço para produzir, pensar e ensinar

Seg, 3 Fevereiro 2020 14:14

Carreira de Cinema e Audiovisual: vasto espaço para produzir, pensar e ensinar

As possibilidades de carreira na área de Cinema e Audiovisual estão cada vez mais amplas. Confira! Foto: Ares Soares.
As possibilidades de carreira na área de Cinema e Audiovisual estão cada vez mais amplas. Confira! Foto: Ares Soares.

As possibilidades de carreira na área de Cinema e Audiovisual estão cada vez mais amplas. Na Universidade de Fortaleza (Unifor), os estudantes contam com professores qualificados, que mesclam experiência de mercado, formação acadêmica e pesquisa. A Universidade também disponibiliza equipamentos que favorecem a captação e pós-produção de filmes, além de espaços para pensar o cinema, como o Cine Clube Unifor e o Grupo de Pesquisa sobre a Imagem.

De acordo com o Professor Doutor Marcelo Muller, do curso de Cinema e Audiovisual da Unifor, na produção de séries como as exibidas no Netflix, por exemplo, é possível atuar nas funções de roteirista, produtor, diretor, fotógrafo, profissional de som, cenógrafo, figurinista, diretor de arte, maquiagem, assistente, editor, montador, técnico de efeito especial, pós-produtor de som, mixador, correção das imagens, correção de cores, desenho gráfico, dentre outras atribuições. 

“O programa curricular da Unifor é pensado para permitir que o estudante entenda toda a cadeia, experimente as principais funções e encontre no mercado a atividade que pretende exercer”, reforça Marcelo Muller. Para ele, o grande desafio para o estudante é ser responsável pelo seu processo de formação. “Fazer audiovisual exige atualização constante. Não é só aprender um software novo. É saber o que está sendo feito, a linguagem, entender a geração que está consumindo”, complementa. 

Pequisa e ensino

Para além do fazer cinema, o programa curricular da Unifor estimula os alunos para a pesquisa e o ensino. Segundo o Professor Doutor Henrique Codato, do curso de Cinema e Audiovisual, há interesse e aumento de pesquisas na área de cinema. “Para quem pensa na carreira acadêmica é uma possibilidade interessante. O curso tem o Grupo de Pesquisa sobre a Imagem, com projetos divididos em duas linhas de estudo: estéticas da imagem e poéticas da imagem”, reforça.

Sobre pensar o cinema dentro da Universidade, ele também cita o Cine Clube Unifor e a oferta de disciplinas que aproximam os alunos da vertente teórica. “Temos ainda a prática de sempre convidar profissionais do cinema para conversar, debater e trocar experiências com os alunos”, complementa. O professor destaca que os estudantes interessados em participar dos projetos podem escrever para codato@unifor.br.

Marcelo Muller

Professor do curso de Cinema e Audiovisual da Unifor. Tem doutorado em Meios e Processos Audiovisuais pela Universidade de São Paulo (2016). Possui mestrado em Ciências da Comunicação (2010) e graduação em Cinema e Vídeo (2003), ambos pela USP. Formado no Curso Regular da EICTV (Cuba, 2001). Diretor e roteirista de cinema, dirigiu o longa-metragem "Eu te Levo" (2016) e escreveu "Infância Clandestina", "O Outro Lado do Paraíso", "Amanhã Nunca Mais", entre outras obras. Recebeu o Prêmio Coral de Roteiro Inédito de Havana, um dos reconhecimentos mais relevantes da América Latina, com o roteiro de "Infância Clandestina". 

Henrique Codato

Professor do curso de Cinema e Audiovisual da Unifor e coordenador do Grupo de Pesquisa sobre a Imagem (GPI/Unifor). Possui doutorado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (2013). É Mestre em Literatura Comparada pela Universidade de Genebra (2007) e Comunicação pela Universidade de Brasília (2004). Sua graduação foi em Comunicação Social pela Universidade Estadual de Londrina (2001). Foi bolsista PNPD/Capes (2014-2018) no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (PPGCOM/UFC), onde atua como professor e pesquisador.