null Fonoaudiologia aborda recursos tecnológicos no Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez

Fonoaudiologia aborda recursos tecnológicos no Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez

Serão debatidos os avanços da tecnologia com a egressa Larissa Gurgel, mestre em Educação e Saúde


    O profissional de Fonoaudiologia diagnostica e reabilita os diferentes tipos e graus de perda auditiva (Ilustração: Getty Images)
  O profissional de Fonoaudiologia diagnostica e reabilita os diferentes tipos e graus de perda auditiva (Ilustração: Getty Images)

O Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez, 10 de novembro, foi instituído para simbolizar a luta pela educação, conscientização e prevenção para questões relacionadas à surdez. Estima-se que a população brasileira tem, aproximadamente, 5,8 milhões de pessoas com algum grau de perda auditiva. Algumas dessas questões serão abordadas pela fonoaudióloga Larissa Gurgel, que é egressa da Universidade de Fortaleza, especialista em Audiologia e mestre em Educação e Saúde. Ela fala no dia 10 de novembro, às 18h, sobre o tema  Recursos Tecnológicos para a Surdez. O evento online é aberto ao público.

A fonoaudióloga Larissa Gurgel foi convidada pelo curso de Fonoaudiologia da Unifor, instituição da Fundação Edson Queiroz, para conversar também sobre as experiências como responsável técnica da Auditiv Soluções Auditivas e coordenadora de audiologia da Clínica Otos. Larissa também atua na Clínica Vivare e no grupo Casa de Implante Coclear.

A professora de Fonoaudiologia da Unifor, Joyce Coelho, ressalta que a perda auditiva pode ter diferentes graus, tipos, ser congênita ou adquirida e afetar pessoas de qualquer idade sob variadas formas. Os prejuízos da perda auditiva são diversos e, comumente, provocam alterações na comunicação com impactos na saúde e qualidade de vida, desenvolvimento acadêmico e relações de trabalho, ressalta a fonoaudióloga.

“No cuidado com a audição, algumas medidas de prevenção são essenciais, tais como: utilizar fone de ouvido de forma segura; evitar sons altos; utilizar equipamentos de proteção individual (EPIs) quando houver exposição a ruído intenso; e manter um estilo de vida saudável”, orienta a professora.

Quando houver risco ou queixa de surdez, é essencial consultar o fonoaudiólogo, explica Joyce Coelho. Afinal, o fonoaudiólogo é o profissional capacitado para promover, prevenir, diagnosticar e reabilitar, por meio de terapia fonoaudiológica e seleção e adaptação de próteses auditivas, os diferentes tipos e graus de perda auditiva, bem como aspectos relacionados a dificuldades de fala e de linguagem.  Para minimizar ou eliminar as dificuldades de comunicação, a reabilitação de um indivíduo com perda auditiva costuma indicar o uso de recursos tecnológicos, como próteses auditivas convencionais e implantáveis.

Serviço:

Palestra Recursos Tecnológicos para a Surdez
Palestrantes Larissa Gurgel, egressa do curso de Fonoaudiologia da Unifor, especialista em Audiologia e mestre em Educação e Saúde.
Dia 10/11
Horário 18h às 20h
Link da palestra
Não será necessária inscrição prévia para participar do evento

Event Navigation Portlet está temporariamente indisponível.