angle-left Núcleo de Pesquisa é laboratório para alunos dos cursos de Arquitetura e Engenharia Civil

Ter, 29 Outubro 2019 13:38

Núcleo de Pesquisa é laboratório para alunos dos cursos de Arquitetura e Engenharia Civil

O NEPE tem como característica preparar os estagiários para o ingresso no mercado de trabalho


O Centro de Ciências Tecnológicas (CCT) da Universidade de Fortaleza tem como um dos seus objetivos incentivar o aprendizado dos alunos, a partir de experiências práticas dentro da instituição. Foto: Ares Soares.
O Centro de Ciências Tecnológicas (CCT) da Universidade de Fortaleza tem como um dos seus objetivos incentivar o aprendizado dos alunos, a partir de experiências práticas dentro da instituição. Foto: Ares Soares.

O Centro de Ciências Tecnológicas (CCT) da Universidade de Fortaleza tem como um dos seus objetivos incentivar o aprendizado dos alunos, a partir de experiências práticas dentro da instituição, com o objetivo de ampliar o conhecimento e facilitar o ingresso dos estudantes no mercado de trabalho.

O NEPE - Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão é um dos vários projetos ligados à parte laboral do Centro, com participação dos alunos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Civil, que funciona sob a orientação da professora Milena Baratta e o apoio das professoras Ana Cecília Serpa, Lia Mamede, Maria Letícia Beinichis e Verena Rothbrust

A coordenadora do NEPE, Milena Baratta, explica como funciona o departamento e quais as atividades que os alunos desenvolvem como núcleo de pesquisa.

“O NEPE funciona como escritório modelo, abrangendo os cursos de Arquitetura e Engenharia Civil. A gente desenvolve projetos da parte interna e estrutural do Campus, dando apoio ao Departamento de Manutenção e Obras (DMO), da Universidade.

O Núcleo também pode realizar projetos de fora do Campus, nesses casos são projetos de caráter social. Semestre passado fizemos a cozinha industrial do projeto Viva Vida, localizado no Tancredo Neves, em parceria com o Rotary Clube Planalto. Também demos um suporte à Secretaria Municipal de Saúde, fazendo o projeto de sonorização da nova sede deles. Nesse semestre participamos da Semana de Responsabilidade Social, fazendo o stand do curso de Odontologia, no Iguatemi. Também planejamos um espaço de estímulo reduzido para autistas, na Escolinha Yolanda Queiroz. Estamos, também, fazendo um projeto de extensão, com o grupo chamado  “Te Adaptar”, que visa atender famílias carentes que têm crianças com autismo, contudo ele ainda está em processo de aprovação”, comenta a professora.

Os projetos são iniciados com as visitas técnicas, passando pelos estudos preliminares, como os projetos executivos e os orçamentos dos trabalhos que serão produzidos pelo Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão. “No NEPE são quatro professoras, sendo três arquitetas e uma engenheira, então nós fazemos o processo de projeto completo, desde as visitas aos locais onde serão feitos os trabalhos até a parte do orçamento”, salienta a arquiteta.

Seleção

Todo semestre são escolhidos 20 alunos, sendo 10 da Arquitetura e 10 da Engenharia Civil, para integrarem a equipe do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão como estagiários voluntários.

O Núcleo de Pesquisa é vinculado à cadeira de Estágio, como comenta a Professora Milena Baratta: “Todo semestre nós lançamos um edital, na maioria das vezes, nos 15 primeiros dias do semestre. O NEPE é vinculado à cadeira de Estágio, que é obrigatório no curso e uma das condições de participar do edital é o aluno estar matriculado nesta disciplina. Com isso, temos duas fases, sendo a primeira uma análise curricular e a segunda uma entrevista, que uma das professoras do núcleo fazem comigo, dependendo do curso do aluno e da atividade”, salienta.
Após o ingresso na equipe, os estudantes começam a desenvolver os projetos solicitados e as pesquisas elaboradas pelo NEPE.

De acordo com a professora, por estar vinculado à disciplina, o Núcleo recebe alunos do sexto semestre, que é onde o Estágio Obrigatório está inserido, sendo esse o semestre mínimo para participação.
No entanto, alunos de semestre mais avançados, como oitavo e nono também participam, mas são estudantes que ainda não tinham feito a disciplina e, dessa forma, entram no processo de seleção do NEPE.