angle-left Aluno de Informática Aplicada defende tese sobre atendimentos de emergência

Qui, 24 Janeiro 2019 08:22

Aluno de Informática Aplicada defende tese sobre atendimentos de emergência

Em sua tese de doutorado, Ricardo Guedes apresenta possíveis soluções para aprimorar atendimentos em centros de grandes cidades


Ricardo Guedes, defendeu a tese  “O conjunto de Pareto como um modelo para Alocação e o Despacho de Recursos em Centros de Emergência”. Foto: Arquivo pessoal.
Ricardo Guedes, defendeu a tese  “O conjunto de Pareto como um modelo para Alocação e o Despacho de Recursos em Centros de Emergência”. Foto: Arquivo pessoal.

O aluno do Doutorado em Informática Aplicada da Unifor, Ricardo Guedes, defendeu a tese  “O conjunto de Pareto como um modelo para Alocação e o Despacho de Recursos em Centros de Emergência”

Intitulada em inglês “The Pareto set as a model for the Allocation and Dispatch of Resources in Emergency”, a tese propõe soluções para uma melhor organização em definir a ordem de atendimentos emergenciais nos centros de emergência nas grandes cidades. 

“A formação de uma fila de ocorrências aguardando atendimento é inevitável, pois a demanda muito frequentemente ultrapassa os recursos disponíveis. O problema principal é definir qual das ocorrências nessa fila deverá ser atendida quando uma viatura estiver disponível”, comenta Guedes, que é também professor do Departamento de Telemática do IFCE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará). 

Para buscar soluções mais equilibradas e por se tratar de um problema com múltiplos objetivos, foi utilizado um algoritmo evolutivo multiobjetivo. “Esse algoritmo deve descobrir a importância, ou o peso, de cada característica das ocorrências. As características consideradas foram a ordem de chegada na fila, a prioridade, o tempo estimado de atendimento e a distância”, explica Ricardo. Os resultados obtidos foram bastante equilibrados, com pequenos tempos de espera e percentuais de atendimento adequados.

No aspecto da inovação, o principal diferencial do trabalho foi a utilização do conceito de dominância quantitativa. “Diferentemente da dominância de Pareto que é Binária, ou seja, um indivíduo em uma população domina ou não domina outro indivíduo, a dominância quantitativa calcula numericamente o quanto um indivíduo domina o outro”, completa o aluno. 

A tese apresentou resultados teóricos e recebeu orientação do professor Vasco Furtado, diretor de Pesquisa e Inovação da Unifor, e como coorientador teve o professor Tarcísio Haroldo Cavalcante Pequeno, professor do Programa de Pós-graduação em Informática Aplicada da Unifor e presidente da Funcap. 

O assunto da tese do aluno foi objeto de publicações científicas internacionais relevantes. Confira: