angle-left Cientistas da Unifor realizam pesquisa inovadora para tratar problemas na coluna

Qua, 3 Abril 2019 09:40

Cientistas da Unifor realizam pesquisa inovadora para tratar problemas na coluna

Em parceria com o ITC Vertebral, a Universidade de Fortaleza desenvolve sistemas de Inteligência Artificial para aprimorar a resolução dos problemas


O objetivo é tratar informações relativas a problemas na coluna. Foto: Ares Soares.
O objetivo é tratar informações relativas a problemas na coluna. Foto: Ares Soares.

A Universidade de Fortaleza e o Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral (ITC Vertebral) estão desenvolvendo o projeto denominado XVertebral, cujo objetivo é tratar informações relativas a problemas na coluna. 
 
O ITC Vertebral criou um sistema de apoio ao diagnóstico internamente, e o primeiro planejamento com a Universidade é a realização de um sistema de Inteligência Artificial (IA) que processe textos científicos. 

“É necessário que entenda a linguagem em inglês no caso da área de fisioterapia e extraia automaticamente informações sobre esses tratamentos e doenças. Devem atualizar de forma mediada, a base dos seus conhecimentos de tratamentos, sintomas e doenças da coluna vertebral”, explica Vládia Pinheiro, professora do curso Ciência da Computação da Unifor

As pesquisas serão realizadas na Universidade, em conjunto com os especialistas do ITC e os pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Informática Aplicada (PPGIA). Segundo a professora, a ideia de projeto surgiu por interesse do próprio ITC em aprimorar novos tratamentos, indicações, contraindicações e diagnósticos. 

O segundo objetivo do projeto é direcionado para a análise e dados atuais nos atendimentos do ITC. “Vamos coletar esses dados, tentar correlacionar, descobrir padrões e desenvolver um dashboard, que chamamos de painel de controle ou de indicadores, em que residem os principais indicadores”, completa a professora. 

A análise será coordenada pelo professor do Laboratório de Engenharia do Conhecimento (LEC), Carlos Caminha. O projeto está em desenvolvimento desde fevereiro, em processo de reuniões para ajustes do que será criado.

“Tenho a expectativa que consigamos bons resultados, os quais satisfaçam os especialistas. Pesquisas de inovação são sempre de interesse nosso para fomentar as pesquisas da pós-graduação”, enfatiza Vládia Pinheiro.