angle-left Universidade de Fortaleza celebra Dia do Acadêmico de Direito

Ter, 19 Maio 2020 17:15

Universidade de Fortaleza celebra Dia do Acadêmico de Direito

Confira relatos e mensagens de alunos e professores do curso de Direito da Unifor em homenagem ao dia 19 de maio.


Iago Capistrano, 20 anos, aluno do 7º semestre de Direito. (Foto: divulgação)
Iago Capistrano, 20 anos, aluno do 7º semestre de Direito. (Foto: divulgação)

Antes de ser um nome importante em qualquer área de atuação, ser estudante é uma etapa primordial na construção da carreira profissional. Esse período formativo requer bastante foco, entusiasmo e dedicação constante para se manter atualizado sobre o objeto de estudo. Dentre os mais diversos alunos, o estudante de Ciências Jurídicas é um notável exemplo deste perfil e, em razão disso, neste dia 19 de maio, é comemorado o Dia do Acadêmico de Direito.

Em homenagem às pessoas contempladas por essa data, a Universidade de Fortaleza, da Fundação Edson Queiroz, convidou alunos e professores do curso de Direito para ouvir as vivências de quem escolheu trilhar essa área do conhecimento.

> Confere também vídeo que homenageia a jornada acadêmica dos alunos ao longo dos anos de graduação. 

Estudante: promotor da mudança

Iago Capistrano, aluno do 7º semestre do curso de Direito, faz uma reflexão sobre a ligação entre uma sociedade balizada no Estado de Direito e o ordenamento jurídico como mecanismo de regulação das condutas sociais. O estudante elucida que está tudo conectado direta ou indiretamente a qualquer temática: “Da política e dos ramos do Direito Público em geral às mais corriqueiras relações privadas, o sistema institucional normativo estará explícito ou mesmo subjacente”.

“Diante de tamanha importância, as alunas e os alunos de Direito e futuros juristas, desde o início da formação, assumem o papel de verdadeiros modificadores do meio social, ao se encarregarem de reconhecer seus direitos, conscientizando a si e à coletividade a respeito do exercício da cidadania e buscando efetivar uma finalidade máxima, que é a justiça.” Iago Capistrano, 20 anos, aluno do 7º semestre de Direito.

Ele conta que a decisão de entrar para a graduação na Universidade de Fortaleza “foi uma das decisões mais acertadas” que já tomou em razão de toda estrutura e suporte físicos e imateriais que a Instituição oferece, diferenciando-se das demais na região. “Por isso, minhas perspectivas profissionais são as melhores possíveis, porque estou certo de que a Unifor me possibilita amplas oportunidades de moldar o perfil de um qualificado aplicador do Direito”, conclui Iago.

A estudante Karla Soraya da Costa está no 10º semestre do curso e acredita que “ser um(a) acadêmico(a) de Direito é contribuir para a sociedade e ajudar as pessoas na defesa de seus direitos, tornando-o um estudante diferente dos demais”. Ela afirma que vê isso de forma perceptível na Unifor, principalmente no Escritório de Prática Jurídica (EPJ) e demais projetos de extensão, estimulando  que o contato com a sociedade seja real e agregue valores ao aluno.

“O(a) estudante de Direito não é aquele que decora leis, mas que, com o conhecimento adquirido, transforma a vida das pessoas. Ser um(a) estudante de Direito é ter um compromisso social.” Karla Soraya da Costa, 21 anos, aluna do 10º semestre de Direito.

“Eu sempre acreditei que conhecimento é liberdade e, quando entrei no campus pela primeira vez, senti literalmente essa liberdade que tanto acreditava”, revela Karla ao contar que seu primeiro contato com a Unifor foi amor à primeira vista. "Hoje, mais do que nunca, no finalzinho do curso, sinto que fiz a escolha certa. A Unifor é, realmente, tudo o que eu imaginei quando entrei no campus pela primeira vez”, declara a estudante.

A advogada e professora Ana Vládia Feitosa é egressa do curso de Direito da Unifor e diz que já sabia que queria seguir essa graduação desde a época na qual prestou vestibular, mesmo sem ter ninguém na família atuando na área. “A partir das oportunidades aproveitadas, como estágios e monitoria institucional, pude descobrir a minha vocação para advocacia e para a docência que exerço como profissões”, alega.

“O estudante de Direito e futuro profissional da área jurídica, especialmente, desempenha um papel substancial de instrumento a serviço da construção de uma sociedade justa, democrática e solidária.” Ana Vládia Feitosa, 38 anos, coordenadora de eixo da Pós-Graduação Lato Sensu.

“Por isso, é de suma importância que o ensino jurídico transcenda a formação basicamente dogmática e positivista e esteja pautado em diretrizes curriculares voltadas para o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias à atuação desse futuro profissional em uma sociedade altamente complexa”, pondera Ana Vládia. 

O perfil de quem faz Direito

“O bacharel em direito tem uma grande responsabilidade com o futuro de nossa sociedade e o seu dever é sonhar e mudar o mundo para melhor”, ressalta o Gustavo Raposo, professor dos cursos de Graduação, Mestrado e Doutorado em Direito da Unifor. Ele alega que, em um mundo de acelerada transformação no qual as normas perpassam todas as dimensões de nossas vidas, é cada vez mais preciso estudo e compreensão sobre o Direito.

“É um imenso poder e uma grande responsabilidade. Quanto mais conhecemos sobre o Direito, mais compreendemos a relevância dessas profissões. [...]  E são os profissionais do Direito que guiam as pessoas nesse universo complexo de normas, conflitos e novas relações.” Gustavo Raposo, coordenador do Mestrado Profissional em Direito e Gestão de Conflitos.

O professor explica que o perfil do curso e do estudante de Direito no Brasil mudou bastante desde o século XIX até hoje. O que antes era destinado apenas ao jovens da elite nacional, que iriam ocupar as principais funções de poder, agora se tornou mais acessível e menos elitista devido às inúmeras transformações no cenário social e no sistema de ensino superior também. “O Brasil tem a peculiaridade de ter um grande número de cursos de Direito e também muitos bacharéis”, aponta Gustavo.

Em virtude dessa profusão de opções, Raposo afirma que é importante a diferenciação do profissional para que receba um destaque na sua área de atuação. “A oportunidade de fazer um curso de altíssima qualidade, com docentes qualificados, com oportunidade de se iniciar na pesquisa científica, de realizar estágios profissionais e de se integrar nessa sólida rotina acadêmica da universidade faz toda a diferença para a nossa formação”, finaliza o professor.