angle-left Histórias de mães e filhos que compartilham vida acadêmica

Qui, 9 Maio 2019 15:16

Histórias de mães e filhos que compartilham vida acadêmica

Celma Prata e Camila Bittar na Colação de Grau da Unifor (Foto: Arquivo Pessoal)
Celma Prata e Camila Bittar na Colação de Grau da Unifor (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma relação que dura por toda vida. Assim podemos descrever o relacionamento de mãe e filho. Agora imagina acompanhar o seu filho nos primeiros passos para o futuro profissional? 

Na Universidade de Fortaleza, conhecemos a história de mães que dividem com os filhos o cotidiano acadêmico, cursando a mesma graduação, e até mesmo mãe que teve oportunidade de ser professora da filho, trazendo mais proximidade para relação. 

Rachel Bittencourt, estudante do curso de Cinema e Audiovisual na Unifor desde 2017, diz que sua mãe, a professora-orientadora da TV Unifor, Helena Cláudia, sempre apoiou ela e suas irmãs nas decisões da vida estudantil e profissional. “Embora ela não tenha me ajudado diretamente na escolha do curso, ela sempre foi e é muito atenciosa. Me ajudou a pensar em um curso que parecesse comigo, além de conversarmos bastante sobre o mercado de trabalho e as possibilidades de atuação na área. Nunca negou fazer parte da minha vida ou forçou alguma opinião dela, mas sempre me mostrou as alternativas e me estimulou a seguir o caminho que me deixasse mais feliz”, conta, Rachel.

“Como não moramos mais juntas, encontrar a Rachel pela Unifor é uma oportunidade de nos aproximarmos cada vez mais e acredito que este sentimento seja recíproco. Acho que o mais importante na relação é manter o contato diário e ela saber que estou sempre presente na vida dela em casa ou aqui na Universidade. E para o dia das Mães deixo a mensagem que haja mais discernimento, tolerância, compreensão e muito amor em todos os momentos.”, comentou, Helena Cláudia, sobre a relação com a filha. 

Alice Sampaio, graduanda do 10º semestre do curso de Odontologia da Unifor, se sente orgulhosa de ter seguido os passos da mãe, a odontóloga Erika Syntia Soares. “Me sinto privilegiada e lisonjeada em ter seguido os mesmos passos da minha mãe. Sempre admirei ela atuando na sua profissão e isso me inspirou desde cedo. Estou concluindo a graduação e é emocionante ver que ela está tão feliz e realizada quanto eu. Desde o início, recebi o apoio dela na decisão em fazer Odonto e isso me ajudou muito a seguir com meu sonho”, falou.

Erika Soares é só elogios para a filha que seguiu o mesmo caminho profissional. “Fico muito feliz e lisonjeada quando soube que ela havia escolhido a mesma profissão que a minha. Me senti segura também por conhecer a Unifor e saber que ela teria um excelente período estudantil e um excelente corpo docente. Além de mãe e filha, somos grandes amigas e agora colegas de profissão e isso nos aproximou mais ainda, já que agora temos outros assuntos e projetos em comum”, confirmou, Erika.

Lúcia Barbosa, funcionária da Unifor há quase 40 anos e, atualmente, coordenadora dos cursos de Engenharia Mecânica e de Produção, comenta da experiência de ser mãe e professora do próprio filho, o engenheiro Daniel Barbosa, durante sua passagem pela universidade: “Ser professora do meu filho não foi problema para mim. Quando soube que ele queria fazer graduação na Unifor achei adequado, pois tinha a certeza de que aqui ele teria ótimos professores, excelente infraestrutura e organização didático pedagógica. O cuidado foi apenas deixar claro que ele não teria regalias por ser meu filho. Ao contrário, ele foi avisado de que ele não tinha mãe na Universidade. A maioria dos professores nem sabia da nossa relação familiar. Os que sabiam, em função do respeito por mim adquirido entre todos por minha postura desde 1982, me deixaram tranquila com relação à certeza da minha imparcialidade”, explica Lúcia. 

Orgulhoso da experiência de ter a mãe em casa e no ambiente universitário, Daniel Barbosa, formado há 7 anos como engenheiro mecânico, considera que seus anos com Lúcia na Unifor ajudaram na sua formação profissional e humana. “ Comecei a cursar na Unifor e tive o prazer de ter minha mãe em três disciplinas. Foi uma experiência bem diferente, mas nós sempre soubemos nos portar.  Ela sempre tratou todos como verdadeiros filhos, então eu tenho muito orgulho de ter tido ela como professora porque pra muitos alunos ela tem a mesma relação que tinha comigo. Foi justamente nesse período de proximidade nossa, até porque eu ia e voltava com ela pra casa, que pude perceber muito de perto o quão dedicada ela é no trabalho. Eu a vejo muito como espelho profissional, sempre admirei o profissionalismo dela e a vontade de fazer bem o seu trabalho”, declara. 

Professora de sua filha na graduação em Odontologia também na Unifor, Olívia Mota, é imensamente feliz em ter ensinado um pouco mais sobre a área para sua filha Marina Lima Verde. “Estou aqui desde a fundação do curso, fiz parte da primeira coordenação e hoje posso afirmar que tenho muitos “filhos”, já que assim considero os meus ex-alunos. Sou muito feliz com a escolha da Marina em fazer Odonto, especialmente porque acho que foi uma decisão pensada e não por influência nossa (pai e mãe de Marina são odontólogos). Sempre falei muito do prazer de ensinar, talvez até mais do que da minha experiência em consultório. Minha filha mais nova, Luiza, também está fazendo Odontologia na Unifor e as duas cogitam a possibilidade em lecionar assim como eu. Meu coração se enche de amor em ver que as influências acontecem naturalmente e em breve terei mais uma “ filha/aluna”, revelou, Olívia.

“Sempre gostei muito de trabalhar com pessoas e o curso de Odontologia foi, pra mim, um casamento perfeito. Sempre via meu pai e minha mãe cuidarem com muito amor dos pacientes e todo esse cuidado me fez querer seguir a mesma carreira profissional. Amei ter sido aluna da minha mãe e ter mais esse contato direto com ela, cuidando de mim em sala de aula, mas com uma certa pressão por ser a professora mais antiga do curso. Mesmo sabendo de toda sua história, tenho muito orgulho de ter tido a possibilidade de vê-la lecionar um assunto que ela é realmente apaixonada”, afirmou Marina sobre o tempo em que foi aluna de sua mãe na Unifor.

Amor em sala de aula

Outra história que vale a pena ser contada é de Celma Prata e Camila Bittar, mãe e filha, respectivamente, que concluíram graduação em Jornalismo no ano de 2010.2. “O ano era de 2007. Eu formada em Pedagogia e ela estava na metade do curso de Direito. Ambas colaborávamos em um jornal local, fato esse que mudou nossas vidas. Fomos fisgadas pelo Jornalismo e decidimos fazer o curso. Ela tomou a iniciativa e eu criei coragem e encarei também. Tínhamos consciência de que era uma experiência única em nossas vidas e aproveitamos ao máximo”, afirmou, Celma Prata.

“Camila é minha parceirona, na vida e na profissão. É a minha revisora oficial desde o primeiro livro, quem primeiro lê minhas criações, faz críticas, argumenta, enfim, somos uma dupla afinada. Participo das suas conquistas pessoais e profissionais e ela das minhas. Trabalhamos e nos divertimos juntas até hoje, mesmo depois dela ter sua casa e sua família”, revelou, Celma, sobre a relação mãe e filha.

Camila, por sua vez, já não estava satisfeita com o curso de Direito e resolveu mudar o rumo da graduação. “Quando escolhi a área jurídica foi um tanto por eliminação, mas após concluir metade do curso vi que não era o que eu realmente queria. Na época, tentei conversar com meus pais, mas eles foram contra a mudança no início. Na época comecei a estagiar num jornal local e, mesmo atuando na área administrativa, passei a amar o Jornalismo. Então, finalmente fui apoiada pelos meus pais e surpreendida por minha mãe que resolveu, também, cursar comunicação”, afirmou.

Processo Seletivo Unifor 2019.2

A prova para todos os cursos será realizada dia 19 de maio, às 8h, no Campus da Unifor. Serão provas diferentes de acordo com o curso desejado. Para os cursos de Bacharelado e Licenciatura (inclusive Medicina), a prova terá duração de 4h30 e contará com 60 questões de múltipla escolha, além da Redação. A prova para os Cursos Superiores de Tecnologia terá duração de 3h30, e terá 30 questões de múltipla escolha, mais Redação. 

Mais informações e Inscrições:
http://www.unifor.br/estudenaunifor
(85) 3477.3400