angle-left Unifor conquista o 1º lugar no Prêmio IEL de Estágio

Qua, 21 Agosto 2019 18:24

Unifor conquista o 1º lugar no Prêmio IEL de Estágio

A iniciativa premia as empresas, instituições e estagiários que tiveram destaque em sua área de atuação em 2019


A Unifor foi a grande vencedora da etapa regional e concorre agora em três categorias da etapa nacional (Foto: Divulgação)
A Unifor foi a grande vencedora da etapa regional e concorre agora em três categorias da etapa nacional (Foto: Divulgação)

A Universidade de Fortaleza (Unifor) venceu o Prêmio IEL de Estágio na categoria Instituição de Ensino. A solenidade de entrega do prêmio aconteceu no último dia 20 de agosto, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). O Prêmio IEL de Estágio é uma iniciativa anual do Instituto Euvaldo Lodi, vinculado ao Sistema FIEC, e que objetiva incentivar as empresas a buscarem excelência em seus programas de estágio.

A premiação é dividida em duas fases: a regional, etapa na qual a Unifor foi a grande vencedora, e a nacional, em que a Unifor vai concorrer em três categorias: Empresa Destaque, Estagiário Destaque e Instituição de Ensino Destaque. Em sua 16º edição, a premiação parte do entendimento de que preparar estudantes de maneira complementar ao ensino é uma forma altamente eficaz de atrair e reter bons profissionais em uma fase inicial do seu desenvolvimento profissional.

A Unifor, por meio da Central de Carreiras, busca abrir espaços para os seus estudantes e incentivá-los a ingressar no mercado de trabalho, a fim de aliar teoria à prática, o que foi fundamental para que a instituição conquistasse o 1º lugar na competição. 

A professora Karol Mota, coordenadora da Central de Carreiras, salienta que a Unifor vem trabalhando na reestruturação da área, com o objetivo de alcançar sempre o melhor resultado de formação e as melhores experiências de vida para os alunos da instituição. “Dizemos que o nosso trabalho é um projeto de sonhos, porque só faz sentido se impactarmos positivamente a realidade dos nossos alunos. Ser agraciado pelo Instituto Euvaldo Lodi com esse primeiro lugar regional é mais um reconhecimento de que estamos no caminho certo”, afirma.

Josué Carvalho, aluno do curso de Administração da Unifor, destaca que a participação no programa de estágio da universidade foi importante para o seu crescimento profissional. “No meu primeiro semestre, eu estava aflito, sem experiências com empresas e negócios, sem nenhum contato profissional, precisava de ajuda. Foi então que o conheci o programa de carreiras da Unifor. Lá, tive auxílio na hora de ver qual era o local adequado para que eu pudesse exercer melhor meu trabalho conforme minhas características. A equipe me auxiliou na hora de formular meu currículo, além de ter palestras sobre como me comportar em uma entrevista de emprego. Todas essas informações foram cruciais na hora de conseguir meu estágio. Hoje, sou grato e disponível para ajudar e me envolver mais com pessoas que estavam na mesma situação que eu.”, ressalta.

As grandes empresas que recebem alunos da Unifor em seus espaços de trabalho também destacam o programa de carreiras da instituição por dar oportunidades de crescimento aos estudantes. Um exemplo é a Enel, que tem o Alexandre Carvalho, estudante de Psicologia, estagiando na empresa. “Nosso objetivo é encontrar jovens talentos inovadores, proativos e confiantes em seu potencial. E a parceria que temos com a Unifor tem nos proporcionado isso: jovens responsáveis pelo que realizam e que trazem conhecimentos acadêmicos atuais, contribuindo para o engrandecimento de sua expertise profissional e para o desenvolvimento da empresa”, explicam Rafaela Mota e Germana Barreira, Business Partner e Analista de RH da Enel, respectivamente.

Central de Carreiras

A Central de Carreiras oferece diversos serviços, dentre os quais a divulgação das oportunidades de estágios não obrigatórios, vagas de trainee e emprego, visto que a Unifor mantém convênio com mais de 2.900 empresas e instituições a fim de facilitar o elo aluno x empresa. Para se cadastrar e concorrer a uma vaga, basta dirigir-se à Central de Carreiras, setor responsável pelo encaminhamento dos alunos para estágios nas mais diversas áreas do conhecimento. As vagas são divulgadas via e-mail, no painel localizado no setor e na Plataforma Unifor Carreiras. O aluno se candidata e, ao ser selecionado, assina um termo de compromisso. O setor o orientará quanto às questões legais relativas à atividade.

Serviço

Central de Carreiras da Unifor
Local: Centro de Convivência - 1º andar
Horário: Segunda a sexta, de 8h às 22h
Link de cadastro na Plataforma Unifor Carreiras: https://unifor-csm.symplicity.com/
Mais informações: (85) 3477.3051

Molde de máscara caseira

Molde da máscara

Baixe a versão para impressão do gabarito em PDF. Imprima em A4, em escala 100%.

Baixe o PDF
Como fazer uma máscara caseira - passo 1

Passo 1

Recorte o tamanho mais adequado entre os modelos ao lado e prenda-o ao tecido com um alfinete. Corte o tecido usando o papel como guia. Repita o processo para ter quatro peças iguais

Como fazer uma máscara caseira - passo 2

Passo 2

Sobreponha duas peças, com a face que ficará exposta voltada para dentro. Costure a lateral e repita o processo com as outras duas peças. Faça os pontos próximos e arremate com nó nas extremidades. Use uma máquina de costura se tiver à disposição.

Como fazer uma máscara caseira - passo 3

Passo 3

Abra uma das peças, deixando a costura e a face que ficará escondida para baixo.

Como fazer uma máscara caseira - passo 4

Passo 4

Fixe as fitas nas extremidades usando um alfinete, deixando uma pequena sobra para fora. As fitas devem ficar “apontadas” para o centro. Se preferir, é possível usar um elástico no lugar das fitas.

Como fazer uma máscara caseira - passo 5

Passo 5

Sobreponha a outra peça costurada por cima, com a costura e o lado que ficará escondido para fora. Se tiver à disposição um material hidrofóbico, como TNT, acrescente mais uma camada.

Como fazer uma máscara caseira - passo 6

Passo 6

Costure as duas peças, deixando um pequeno vão aberto em uma das laterias para a passagem das fitas. Para melhorar a vedação sobre o nariz, insira um arame sob um tira de tecido costurada.

Como fazer uma máscara caseira - passo 7

Passo 7

Puxe as fitas pelo vão para virar a máscara do avesso, expondo o lado principal para fora e escondendo as costuras.

Como fazer uma máscara caseira - passo 8

Passo 8

Finalize costurando o buraco que ficou aberto para passagem das fitas.

Como fazer uma máscara caseira - passo 9

Passo 9

Amarre as fitas atrás da cabeça. Ao colocar a máscara, certifique-se de que o nariz, a boca e o queixo estão cobertos. Para crianças, considere fazer desenhos ou usar estampas lúdicas.

Cuidados especiais com a máscara caseira - dica 1

Cuidados especiais

Não deixe a máscara ficar úmida, pois isso irá facilitar a passagem do vírus e proliferação de bactérias. Lave a máscara após cada uso ou a cada duas horas. Dê preferência à água quente e detergente. Seque à luz do sol.

Cuidados especiais com a máscara caseira - dica 2

Uso individual

As máscaras são de uso individual e não familiar. Tenha várias para sempre ter uma limpa enquanto as outras estão sendo lavadas ou secando. Não toque a máscara durante o uso. Se tocar, lave imediatamente as mãos.

A diretriz da OMS está baseada, em parte, na preocupação de que o consumo desenfreado de máscaras pela população em geral provoque a falta do produto para quem mais precisa. Ou seja, a ideia é priorizar o uso onde ele é mais importante, seja reduzindo a propagação do vírus por pessoas que já estão infectadas ou protegendo aquelas que estão muito expostas.

As lacunas não respondidas já começam a ser debatidas. Uma delas, é a impossibilidade de se identificar pessoas infectadas mas que ainda não desenvolveram sintomas ou que nunca os desenvolverão mas que mesmo assim transmitem a doença.

Propagação pode ser reduzida

No Brasil, pessoas com sintomas leves de coronavírus, como coriza e febre baixa, não fazem teste para Covid-19 e, consequentemente, também não são orientadas a usar máscara para proteger familiares. E mesmo as que fazem os exames precisam esperar dias para saber se estão infectadas ou não.

A propagação do vírus por essas pessoas poderia ser reduzida se toda a população usasse máscaras. Jornais americanos, como o New York Times e o Washington Post, e o britânico The Guardian já defendem o uso de máscaras por toda a população e estão ensinando seus leitores a fabricar suas próprias máscaras em casa.

A solução "faça você mesmo" é interessante porque impede que uma corrida desenfreada à farmácias cause uma crise de oferta e permite o acesso geral à proteção, visto que no Brasil já é praticamente impossível encontrar o produto à venda.

Redução de microrganismos expelidos

Dois estudos publicados em revistas científicas atestam a eficácias de máscaras caseiras na proteção contra a gripe, que é transmitida de forma muito semelhante ao vírus da Covid-19 . Elas não protegem tão bem quanto uma máscara cirúrgica comum, e menos ainda que a N95, mas não ficam muito atrás.

Um dos estudos, produzido por pesquisadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, atesta que máscaras caseiras reduzem significativamente o número de microrganismos expelidos, embora uma máscara cirúrgica seja três vezes mais eficiente em bloquear transmissões.

O estudo também atesta diferentes graus de proteção dependendo do material utilizado. Toalhas de cozinha e saco de aspirador são mais eficientes, mas dificultam a respiração. O mais indicado é usar tecidos de algodão, como o de camisetas ou de roupas de cama. Quanto mais densa a malha, melhor.

Outro estudo, financiado pelo Ministério da Saúde da Holanda, atesta que máscaras caseiras oferecem proteção significativa, embora menos eficientes que máscaras cirúrgicas. O estudo também destaca que elas não sofrem de escassez de fornecimento, nem precisam de recursos adicionais para serem produzidas em larga escala.

Fonte: Folha de São Paulo.