angle-left Cientista cearense desenvolve técnica não invasiva para diagnóstico de reações alérgicas

Qua, 31 Julho 2019 14:29

Cientista cearense desenvolve técnica não invasiva para diagnóstico de reações alérgicas

A pesquisa foi desenvolvida pela professora Doutora do curso de Nutrição da Unifor, Marília Porto Oliveira Nunes, e obteve patente internacional (Foto: Ares Soares)
A pesquisa foi desenvolvida pela professora Doutora do curso de Nutrição da Unifor, Marília Porto Oliveira Nunes, e obteve patente internacional (Foto: Ares Soares)

O investimento em políticas públicas que incentivam pesquisa e inovação são essenciais para o crescimento econômico do país e para a melhoria da qualidade de vida da população.  

Exemplo disso foi o resultado da pesquisa realizada pela professora da Unifor Marília Porto Oliveira Nunes, que obteve patente internacional para uma nova técnica de diagnóstico de reações alérgicas. 

A patente internacional é fruto da tese de Doutorado em Biotecnologia da RENORBIO, orientado pela professora Maria Izabel Florindo Guedes. A patente, publicada pela UECE, trata de uma nova técnica não invasiva de diagnóstico de reações alérgicas a alimentos e medicamentos.

A técnica possui baixo custo e é capaz de detectar em poucas horas na saliva da criança ou de adulto as imunoglobulinas (IgG1 e IgE), responsáveis por desencadear as reações alérgicas. O trabalho foi desenvolvido no Laboratório de Biotecnologia e Biologia Molecular (LBBM) em parceria com a Greenbean Biotecnologia, que é uma empresa cearense de base tecnológica, fundada em 2012, cujo seu objetivo é de produzir proteínas transientes recombinantes para o desenvolvimento de kits de diagnósticos, fármacos, vacinas em plataformas vegetais, bem como desenvolve alimentos funcionais para atender os mercados humano e animal.

De acordo com a Profa. Dra. Marília Nunes, responsável pela pesquisa, trata-se de um método não invasivo que tem como objetivo maior o conforto e a praticidade da vida do paciente. Esse novo método, oferece uma facilidade para coleta do material analisado (saliva) bem como não provoca desconforto e dores ao paciente, podendo ser exemplificado com dois tipos de pacientes, o idoso acamado e as crianças de colo. 

“Além disso, é importante destacar que a alergia alimentar diagnosticada quando criança, possibilita que o indivíduo adquira tolerância mais cedo, ou seja, será mais fácil voltar a ingerir determinado alimento”, complementa. 

“Esta foi uma pesquisa que trouxe inovação, oferecendo à comunidade o benefício de ter um diagnóstico rápido e sem dor, conseguindo diagnosticar cerca de 43 tipos de alimentos, o que acelera o diagnóstico da alergia”, declara.

Saiba mais

O Brasil, juntamente com 152 países, é signatário do Tratado de Cooperação de Patentes (PCT), criado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual para auxiliar os candidatos na busca de potencial proteção internacional de patentes para seus inventos. Mediante a apresentação de um pedido de patente internacional, sob o PCT, os candidatos podem procurar simultaneamente a proteção de uma invenção na maioria dos países do mundo.