angle-left Mulheres na Ciência: concurso fotográfico premia aluna do curso de Publicidade e Propaganda

Sex, 9 Outubro 2020 17:33

Mulheres na Ciência: concurso fotográfico premia aluna do curso de Publicidade e Propaganda

Fotografia que conquistou primeiro lugar no concurso homenageia curiosidade pela a ciência desde a infância. Confira depoimentos das participantes.


Acima, fotografia vencedora do concurso elaborada pela aluna Amanda Nogueira. Modelo da foto é sua irmã mais nova, Júlia, de oito anos.
Acima, fotografia vencedora do concurso elaborada pela aluna Amanda Nogueira. Modelo da foto é sua irmã mais nova, Júlia, de oito anos.

O concurso fotográfico Mulheres na Ciência teve seu resultado final divulgado na tarde desta sexta-feira, 09 de outubro, durante o II Seminário Maternidade e Ciência. A imagem vencedora foi elaborada pela fotógrafa Amanda Nogueira, estudante do 4º semestre do curso de Publicidade e Propaganda na Universidade de Fortaleza, instituição da Fundação Edson Queiroz. Segundo a aluna, ela viu a oportunidade de homenagear as mulheres em todas as áreas da ciência e dizer o quanto cada uma delas é importante, principalmente no âmbito da pesquisa.

Para a professora Adriana Rolim, organizadora do concurso, ações de divulgação como essa são ferramentas de grande importância para a desconstrução do viés de gênero na ciência, favorecendo tanto o ingresso quanto a permanência de mulheres na carreira científica. “Divulgando as mulheres na ciência, contribuímos para a informar a sociedade, fornecemos modelos para as meninas e mulheres que almejam a carreira científica e as empoderamos”, explica.

Vejo que a cada dia estamos inundando de paixão e força o mundo. Por ser apaixonada pelo meio acadêmico e saber que essas mulheres já são fortes e determinadas desde de pequenas, meu maior exemplo é minha irmã Júlia”, explica Amanda. Em uma conversa com sua mãe, ela soube que a pequena de oito anos queria colaborar com o ensaio.

A estudante conta que quis mostrar o que a caçula realmente é: curiosa, destemida e inteligente. “Vi na Júlia uma representatividade enorme feminina. Ela ama ciências, matemática e sempre foi muito determinada. Onde ela está, ela se destaca, é muito criativa. Então joguei a ideia para a família e fomos a ideia formulando juntos”, relata Amanda.

Ela agradece à professora Hercília Correia, que nessa pandemia a tem encorajado bastante, inclusive dando-lhe o estímulo para que participasse do concurso. “Ter ficado em 1º lugar é uma sensação única. É um sentimento de que, sim, você é capaz e que sua arte pode se perpetuar em qualquer causa; e eu estou muito grata porque realmente foi um trabalho em equipe”, revela a fotógrafa. 

Competência multifuncional

Advogada e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Direito, Taís Tavares foi uma das participantes do concurso que teve destaque com sua criação, obtendo o segundo lugar na avaliação técnica.

Taís explica que a inspiração para sua foto surgiu da cultura indiana, partindo da imagem de alguns deuses e deusas que são representados com vários braços, que simbolizam as diversas qualidades e atividades que cada deidade. Todos os objetos que ela segura na imagem representam seu dia a dia, mostrando ser uma mulher que estuda, pesquisa, viaja, lê, cuida da beleza e é organizada: muitas funções que coexistem e não se anulam.

“Esse é o grande desafio da mulher na ciência e em todas as áreas que atua: ser multifuncional sem que isso signifique perda da qualidade em cada habilidade por nós desenvolvida. E a mensagem da foto é essa, com o objetivo de seguir no reconhecimento da nossa luta por igualdade e valorização do nosso trabalho, sem o preconceito que, infelizmente, ainda existe”, declara Taís.

O poder da mulher na ciência

Estudante do curso de Farmácia e integrante do grupo de pesquisa em Farmacologia de Produtos Naturais e Sintéticos da Unifor, Sacha Aubrey Rodrigues acha a ciência apaixonante. Isso a fez adorar a ideia do concurso e produzir uma série de fotos mostrando o dia a dia dentro do laboratório, o que lhe rendeu o terceiro lugar na avaliação técnica.

“Participo de pesquisa em STEM ‒ sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharias e Matemática ‒, áreas estratégicas no desenvolvimento científico para a sociedade e que antigamente eram mais associada aos homens. Questões de gênero, diversidade e inclusão são muito importantes para uma ciência mais diversificada e que só tem a ganhar em qualidade e em perspectiva”, pontua Sacha.

A aluna elaborou diversas imagens com referências ligadas à ciência e ao feminismo, como a inspiração na imagem da cientista Marie Curie ‒ primeira mulher a receber um Prêmio Nobel e a primeira pessoa e única mulher a ganhar o prêmio duas vezes ‒ e no pôster “We Can Do It!” (“Nós Podemos!”, em tradução adaptada) ‒ ilustração ressignificada pelo movimento feminista de Segunda Onda para promover o empoderamento feminino e questões políticas voltadas às mulheres.

Comissão Julgadora

Confira abaixo os participantes da comissão julgadora do concurso fotográfico Mulheres na Ciência:

  • Professora Adriana Helena (Gestora do Espaço Cultural Unifor)
  • Professora Adriana Rolim (Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas)
  • Professor  Ângelo Roncalli (Chefe da Divisão de Pesquisa da Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação)
  • Professor Jari Vieira (Curso de Jornalismo)
  • Professora Renata Giaxa (Curso de Medicina e dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Médicas e Direito e Gestão de Conflitos)
  • Professora Normanda Araújo (Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia)
  • Diego Moreno (Coordenador de Mídias Digitais da Diretoria de Comunicação e Marketing)

Confira abaixo algumas das imagens produzidas por alunas que participaram do concurso: