Espaço Cultural Unifor Museu

Esculturas e pinturas do Espaço Cultural Unifor são exibidas.

"Da Terra Brasilis à Aldeia Global"

Em comemoração aos 45 anos da Universidade de Fortaleza, a Fundação Edson Queiroz realiza a exposição “Da Terra Brasilis à Aldeia Global”, reunindo 250 obras dos principais artistas brasileiros e de estrangeiros que retrataram o Brasil, abrangendo arco temporal que se estende do século XVI ao século XXI, iniciando com o livro America Tertia Pars, publicado na Europa em 1592, e finalizando com obras contemporâneas.

Com a curadoria de Denise Mattar, a exposição reúne parte do acervo da Fundação Edson Queiroz e acontecerá de março de 2018 a março de 2019, no Espaço Cultural Unifor.

A presidente da Fundação Edson Queiroz, Lenise Queiroz Rocha, ressalta que, além de ser uma mostra de arte, “Da Terra Brasilis à Aldeia Global” relembra a participação da instituição no fomento artístico não só no Ceará mas no Brasil. “Ao optarmos por uma abordagem que contempla a História do Brasil por meio de seus movimentos artísticos, a exposição se torna, por si só, uma homenagem e uma linha do tempo ilustrada pelos principais artistas de suas épocas. Essa transfiguração da Arte em História é algo especial que a Fundação Edson Queiroz pensou para, mais uma vez, presentear seu público em um ano tão importante para nós”.

“Foi apaixonante escolher a exposição que celebra os 45 anos da Universidade de Fortaleza. E, desde então, a cada dia descubro algo mais sobre essa bela coleção, que me dá inspiração para continuar o crescimento da Fundação Edson Queiroz, nesta área de valor inestimável para a formação das civilizações”, complementa Lenise Queiroz Rocha.

O vice-reitor de Extensão da Universidade de Fortaleza, o professor Randal Pompeu lembra que a arte e a cultura fazem parte da atuação da Instituição desde sua inauguração, em 1973, com a realização de sua primeira mostra. “Desde então, a Unifor realizou sucessivas exposições e, em paralelo, a Fundação Edson Queiroz constituiu uma das coleções de artes visuais mais importantes do país, hoje reconhecida e exposta nacional e internacionalmente”, destaca.

Randal Pompeu ressalta que a mostra “Da Terra Brasilis à Aldeia Global” apresenta um recorte significativo da coleção da Fundação Edson Queiroz, “habilmente selecionado e organizado pela curadora Denise Mattar, que incorporou a vocação das exposições realizadas no Espaço Cultural Unifor de aliar a arte ao conhecimento, em consonância com seu respectivo contexto histórico”.
 

Abordagens histórica e didática

A curadora Denise Mattar optou por uma abordagem histórica e didática, contextualizando os principais movimentos da arte brasileira. “Além disso, procuramos mostrar para o público que cada um desses movimentos reflete um momento histórico, político e social e que a arte acaba por transcender todos esses marcos”, salienta. Como novidade, a exposição reúne também livros raros, pertencentes à coleção da Biblioteca Acervos Especiais, da Unifor.

Subordinada durante séculos às correntes artísticas internacionais, a arte brasileira, segundo explica Denise Mattar, sempre viveu constante processo de cópia/repetição, adaptação/transformação, conseguindo algumas vezes imprimir à sua produção um sabor nacional. Barroco, Academia, Modernismo, Abstracionismo, Concretismo, Nova Figuração, Conceitualismo, Transvanguarda e Neoexpressionismo foram se sucedendo de forma cada vez mais veloz. “Somente a partir do final da década de 1980, esse quadro começou a se reverter, abrindo maior espaço para a internacionalização e integração ao circuito de arte mundial – para o bem e para o mal...”, frisa.

Além de traçar esse roteiro com o exterior, a exposição “Da Terra Brasilis à Aldeia Global” aponta como a questão centro-periferia se repetiu internamente no Brasil, sempre privilegiando os centros econômicos. No início da colonização, até então situados nas regiões Norte e Nordeste, esses centros deslocaram-se para o Rio de Janeiro, em função da descoberta do ouro – até a absoluta predominância do eixo Rio-São Paulo.

“Dessa dinâmica resulta o fato de que alguns artistas significativos, por viverem fora dessa área, não chegaram a integrar o chamado circuito de arte, enquanto que outros alcançaram essa meta ao preço de sair de sua terra natal. O foco para ilustrar essa questão será a produção de artistas cearenses de vários períodos, apresentados na mostra integrados aos fluxos artísticos aos quais pertencem”, ressalta a curadora. Segundo ela, “a excepcionalidade da coleção da Fundação Edson Queiroz permite contar essa história, quase sem lacunas, pois seu acervo excede em qualidade e quantidade a de muitos museus do eixo Rio-São Paulo, acentuando sua importância dentro da discussão proposta”.

Serviço

Exposição “Da Terra Brasilis à Aldeia Global – Coleção Fundação Edson Queiroz”
De 20 de março de 2018 a 24 de março de 2019
Visitação de terça a sexta-feira, de 9h às 19h e aos sábados e domingos, de 10h às 18h
Local: Espaço Cultural Unifor (Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz. Fortaleza, CE)
Acesso gratuito
Mais informações: (85) 3477.3319 | espacocultural@unifor.br